Pub

palácio do governo

O Governo de Cabo Verde decretou dois dias de Luto Nacional, 22 e 23 de Outubro, pela morte do ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Integração Regional, Júlio Herbert.

Num comunicado oficial lê-se que a medida foi tomada considerando o percurso de Júlio Herbert e os esforços consentidos no processo de afirmação política, económica, social e cultural de Cabo Verde, principalmente no continente africano.

“É com sentimento generalizado de pesar e comoção que o país recebeu a notícia do passamento do Dr. Júlio Herbert, no final da tarde de ontem, 21 de Outubro, na cidade da Praia”, lê -se na mesma nota que ainda diz que “enquanto ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Integração Regional, desempenhou as suas funções com elevado sentido de Estado”.

O Governo de Ulisses Correia e Silva enviou ainda “as mais profundas condolências” aos familiares do falecido.

Júlio Herbert foi encontrado morto ao final da tarde desta segunda-feira, 21, no seu gabinete, no Palácio do Governo, na Praia. Não são conhecidos, até ao momento, indícios de crime neste caso.

Entretanto, em declaração aos jornalistas, após as perícias médico-legais e transferência do corpo para a morgue, na noite de segunda-feira 21, o director nacional da Defesa, Armindo Miranda, afirmou que mais pormenores serão fornecidos hoje. O jornal O país adianta, para já, que as cerimónias fúnebres acontecem amanhã, devendo o corpo de Júlio Herbert ficar a velar no Palácio do Goberno a partir desta tarde, informação que não foi confirmada ainda por qualquer fonte oficial.

Júlio Herbert, um dos 13 ministros do actual executivo, era formado em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, de Brasília, e em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Entre outros cargos, o até agora ministro-adjunto do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, foi cônsul-geral adjunto de Cabo Verde em Boston, Estados Unidos, assessor político/diplomático da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, conselheiro do Presidente da República e conselheiro político e diplomático do primeiro-ministro.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar