Pub
Por: Neltor Lobo

 Nestor Lobo1

Nessa minha última passagem por Cabo Verde, deparei-me com uma situação que eu já tinha constatado nas minhas muitas deslocações durante 1 ano civil que costumo fazer!

Jovens desempregados, jovens recém-formados sem enquadramento laboral, abandono escolar, principalmente na fase de secundária, agregado familiar sem condições dignas de auto-sustento (Liceu), etc etc

Antes de aprofundar sobre o assunto, esclareço que não estou a retratar um problema político e não estou a culpar este ou anterior governo!

Todavia, poderei culpar os próximos governos se assim entender que não se fez nada a respeito!

Ora, como sabemos Cabo Verde é um país pequeno!

A actividade laboral de um cidadão no nosso país compreende em média um período de 35 anos, dando-se lugar a um outro cidadão, após a sua mais do que justa e merecida reforma!

Todos os anos temos novos formandos, candidatos a eventuais cargos públicos e privados!

Para estes exercerem uma actividade laboral ou serem enquadrados é preciso existir vagas, espaços para tal!

O que hoje torna-se uma tarefa muito difícil para não dizer impossível, pois é sabido em circunstâncias normais, salvo algum impedimento (despedimento, incapacitação, morte) um trabalhador cabo-verdiano em regra cumpre o seu tempo total de prestação de serviço antes de se reformar!

E isso significa que todos os formandos e os que ainda irão se formar no futuro as perspectivas de os mesmos serem enquadrados no mercado trabalho diminui cada ano que passa!

E o que fazer?

Antes, queria também mencionar um outro problema social!

Constatei também que muitos jovens, tanto homens e mulheres, estão a procriar cada vez em maior número! Principalmente os que não têm fonte de rendimento fixo ou possuem alguma formação!

A criminalidade está a aumentar! Mas a razão que está a levar muitos a optarem por esse caminho é escassez laboral e fontes de rendimento no seio da família! É verdade, muitos estão a assaltar por necessidade! Necessidade de se alimentarem, necessidade de sustentarem os seus filhos etc etc

Eu não sou sociólogo! Mas a minha formação e experiência no ramo de justiça coloca-me perante esses dados estatísticos e que infelizmente são verídicos! Além de testemunhar essa forma de viver de alguns que até são conhecidos meus!

Há que começar a adoptar medidas para prevenir uma catástrofe no futuro!

Ora, será que agora que irão ser criadas condições para Transplante Renal, não é o caso de começar a pensar noutras formas de intervenção para minimizar ou mesmo salvar o que claramente irá ser um Deus nos acuda em médio-longo prazo?

Não é preciso deixar os problemas aparecerem e para depois tentar desesperadamente buscar soluções ou fazer milagres! É preciso antecipá-los, preveni-los!

É hora de se começar a pensar a criar condições de controlar o crescimento demográfico em Cabo Verde, principalmente os que de forma irresponsável sem terem condições para si mesmos, estão a procriar! Há jovens desempregadas com 2 ou 3 filhos menores, às vezes com pouca diferença de idade entre os filhos! Muitas vezes de pais diferentes!

Para quê? Para ser mais um candidato a ficar desempregado, mesmo se tiver sorte, juízo e se formar no futuro!? Pois, lembrem-se o nosso país é pequeno e o enquadramento laboral está estagnado! Irá ser preciso esperar 35 anos para um reformado dar lugar a uma outra pessoa para poder trabalhar?

Alguns países asiáticos, que são bastante ricos, legislaram nesse sentido! Imagine, eles que têm melhores condições!

É preciso inicialmente a dar opção de quem voluntariamente quiser limitar o seu agregado familiar, ou de quem não tiver condições sequer de sustentar uma criança! Não falemos de métodos contraceptivos! Pois sabemos que existe! Mas nenhum deles têm 100% de eficácia! Falemos de políticas de saúde onde inicialmente serão dadas opções de quem não quiser ou não puder procriar!

O Estado tem de proteger o Estado! E o Estado somos todos nós! Fazendo isso está a proteger muita, mas muita coisa mesmo!

Repito: não é preciso deixar os problemas acontecerem para depois ir correr atrás de soluções e milagres! É preciso antecipá-los, preveni-los!

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # bento fortes 05-02-2020 11:41
Meu caro concordo contigo sobre a natalidade inconsequente em cv. mas convém esclarecer que a procriação é promovida pelos ocidentais para terem mão-de-obra barata sempre que precisarem e sem custos de sustento nos seus países. basta ver com acabaram com os serviços de pmi/fm e deram privatizaram o planemento familiar verdefam, morabi, etc.) com recursos para incentivar a natalidade sobretudo nas escolas.
Responder
0 # toto 19-01-2020 08:38
Essa Lei do transplante esta nascer por inseminação artificial . Axo que o SNS de Pt esta sobrecarregado e e' hora q cada pais assuma responsabilidades e responda conforme a realidade que tem os recursos que tem e as prioridades e CV não tem condiciones de resolução definitiva para estes doentes a dia de hoje ,mais sim para prevenir a principal causa da I.R a mm que leva as doenças cardiovasculares a ser a 1 ou 2da causa de morbimortalidade em CV.
Responder
0 # Euclides Correia 17-01-2020 21:11
Ami nta vive na USA pa 18 anos in bai pa C.V na 2008 e 2012 pasa pa un situacao kritico,num ponto kes kria atakaba mi e nha Mudjer na nha propi zona kin kria ki in teve ki ta core de dezispero mas en fim gosi in tene medo bai nha propi pais pa 2 razao,SAUDE e Violencia
Responder