Pub

Carlos dos Anjos Director geral Turismo

Carlos Anjos alegou razões pessoais para pedir a demissão do cargo, oito meses depois da sua nomeação.

Em comunicado, o Ministério da Economia e Emprego informa que o ministro José da Silva Gonçalves aceitou, este domingo, 8, o pedido de demissão de Carlos Jorge dos Anjos, que alegou “razões de foro pessoal” para a tomada de decisão.

Para preencher o vazio deixado com esta decisão repentina, lê-se na nota enviada à Inforpress, o ministro da Economia e Emprego encetou de “imediato” contactos no país, a fim de encontrar um “substituto à altura” para ocupar o cargo de “elevada importância” para Cabo Verde.

Entretanto, circulam informações de que Carlos Anjos terá sido "forçado" a pedir demissão. O seu desempenho à frente do Turismo e Transportes estava a ser bastante criticado dentro e fora do Ministério da Economia. O sector dos Transportes é o caos que se conhece e no Turismo caiu mal a forma como foi organizada a cerimonia dos prémios aos operadores turisticos, com suspeitas de resultados concertados e predefinidos.

Refira-se que, Cabo Verde estima receber 3,15 milhões de turistas até 2030, mas para isso promete remover “alguns obstáculos”, ligados sobretudo aos preços dos transportes, infra-estruturas, segurança e diversificação das ofertas e dos mercados.

Trata-se de uma meta constante nas Grandes Opções do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Turismo no horizonte 2030, um documento elaborado pelo Governo após serem recolhidos subsídios em várias mesas redondas realizadas em quase todas as ilhas do país.

O plano estratégico, apresentado pelo então director-geral do Turismo, Carlos Jorge Anjos, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Turismo, que se celebra 28 de Setembro, traça vários cenários para o sector nos próximos anos, mas o Governo pretende focar as medidas no cenário optimista moderado, considerado o “mais provável”.

O país prevê receber 3,15 milhões de turistas até 2030, gerar mais de 30 mil empregos e receitas com a taxa turística a chegar aos 4,4 mil milhões de escudos (40 milhões de euros).

Do total de turistas estimados para entrar até 2030, o plano estratégico prevê que o Sal e a Boa Vista recebem dois milhões de turistas e as outras ilhas 1,15 milhões.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Cidadao xatiadusi 09-10-2017 18:04
Oh Ministro Jose Goncalves, nada evitará a tua queda. Acredite que não será por falta de capacidade da tua parte. É humanamente impossível fazer funcionar bem todos os sectores sob a vossa tutela. O pior de tudo isto é que o Senhor aderiu á saga da mudança descontrolada de tudo e todos e contratou os militantes sem qualquer traquejo para os cargos. Djobi pa ladu bu odja ma bu sta rodeadu di inkonpetentis.
Responder
0 # Cidadao xatiadusi 09-10-2017 17:57
A propósito do pedido de demissão do Director-geral do Turismo e transportes

É nisto que dá a escolha com base no critério filiação partidária. De agora em diante é que vamos ter demissões e pedidos de demissões, pois a pressão aumenta e o resultado é cobrado. Infelizmente quem paga são os Directores-gerais e os PCAs, esquecendo-se da incapacidade dos Ministros fantasmas.
Em muitos casos, o problema não está nos dirigentes contratados ou nomeados mas sim no próprio Ministro. Duvido se durante estes oito meses do mandato, o DGTT tenha tido a oportunidade de algum despacho com o seu Ministro.
Se os Ministros não dêem orientação aos seus directores por ignorância ou por “falta de tempo”, o fraco desempenho não pode ser responsabilidade apenas dos directores.
Para melhor resultado, o critério principal para escolha e indicação dos Directores-gerais, PCAs e outros, deve ser a competência técnica. Coloquem os vossos militantes mas privilegiem a competência, mesmo que façam concurso, vedando a participação de quem não seja do MPD.
Responder
0 # Jose Barbosa 09-10-2017 15:56
Pudera! Esse tipo de eventos (fiascos) so termina quando começarem a colocar pessoas com estofo para lugar certo e não meter qualquer um so por ter boa labia nas esquinas ou em espaços mais selectivos baseado em poderio econômico de cada um. Isso termina quando começarem a preencher cargos com pessoas que tenham dado provas de competência e que não esteja pulando de galho em galho sem saberem porque. Esse Moço não e ao de boa massa.
Responder
0 # Dapadodu 09-10-2017 14:15
Fez das suas na TACV e teve o privilégio de ser o DF na Halcyonair. Levou a Halcyonair a falência e regressou para TACV e de novo fez das suas como Diretor da informática em vez de ser penalizado foi promovido a cargo do Diretor Geral de Turismo e Transporte. De certeza que ja fez de novo das suas e será promovido a um novo cargo... Quem viver verá
Responder
+1 # Djosa 09-10-2017 14:12
O problema não é o Carlos mas sim o José Gonçalves que o nomeou para o cargo sem conhecer as debundas do homem. MPD é só troça!Só não venham dizer que eu sou da oposição!
Responder
0 # Carlos Lopes 09-10-2017 13:35
Gonçalo, tu como conhecedor e cultor da lingua Portuguesa, sabes que o Dany não fala nem escreve em português. Estás a imaginar um DG do Turismo que só conhece um brasileiro mal falado. Sinceramente esta proposta nem parece tua. O Dany Pigmeu tem Sido hábil em enganar as pessoas do Arco do Poder.
Responder
-1 # CHIQUINHO 09-10-2017 12:39
Continua a Valsa, ou melhor, " dramática hecatombe" nas Chefias da Administração do Estado de Cabo Verde, sinais grave de imaturidades, impreparações, improvisos, falta de visão dos governantes. LER ANAÇÃO Nº 527. Parece que o BEM PÚBLICO tornou-se o brinqueto dos Ministros. O primeiro da fila: ABRAÃO VICENTE que acabou de nomear a nossa queridinha JACQUIE, infelizmente inexperiente e MANIPULAVEL a frente da Infropress para uma melhor dominação dos conteúdos informativos. FACEBOOK EXISTE. UCS, A RUA FALARÁ E EM BREVE.
Responder
0 # josé Realista 09-10-2017 11:50
Algo vai muito mal neste Governo. Muito mal mesmo. Em 18 meses de governação, entre Presidentes de Instituto, conselhos de Administração Diretores Gerais e Diretores de Serviço, já vamos em cerca de 10 Instituições, entretanto, os números de demissões é muito maior. Isto de bradar aos céus. De onde viemos? como estamos? para onde vamos? Essa de sem Jover pa ladu está a custar muito aos Caboverdianos
Responder
0 # Gonçalo Amarante 09-10-2017 11:17
Chamem para o lugar dele, Daniel Livramento, o Dany, que dará conta do recado. Pelo menos, tem experiência que ganhou e está a vontade para ocupar essas funções.
Responder