Pub

Jorge Santos 1

O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, considera que a deslocalização de dois eventos do Parlamento da CEDEAO, inicialmente previstos para o Sal, é “uma ação hostil e de falta de respeito institucional”, numa carta divulgada esta sexta-feira.

O seminário e a sessão extraordinária do Parlamento da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) estavam agendados para a ilha do Sal, entre os dias 28 de fevereiro a 09 de março, mas foram deslocalizados para Dacar, capital do Senegal.

Numa carta dirigida ao presidente do Parlamento da CEDEAO, o presidente da Assembleia Nacional de Cabo Verde, Jorge Santos, expressou o seu “profundo desagrado pela súbita deslocalização” dos eventos.

Na missiva, Jorge Santos recorda o esforço da Assembleia Nacional cabo-verdiana para a criação de todas as condições logísticas e a mobilização das autoridades nacionais para o sucesso do evento.

Para o parlamentar, esta deslocalização é “uma ação hostil e falta de respeito institucional que se espera do Parlamento da CEDEAO”.

No passado dia 26 de fevereiro, o vice-presidente da CEDEAO lamentou esta mudança e afirmou que a mesma está relacionada com as eleições na Nigéria, Senegal e Guiné-Bissau.

Fazem parte da CEDEAO o Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné-Conacri, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

-1 # José Furtado 14-03-2019 09:45
Essa desculpa tornou mais evidente ainda a falta de respeito para com o nosso país. Estando Senegal em eleições era mais uma razão para que o evento fosse realizado em Cabo Verde. Por isso a África não é levada a sério e temos direito também de não levar a sério a CEDEAO. Acham tudo isso normal, ou seja a corrupção é institucional no nosso continente.
Responder
+3 # Marcela 13-03-2019 16:54
Pessoal! Deixem de politiquices... Defendamos o nosso país em primeiro lugar. Essas maltas da CEDEAO têm ciumes do nosso país. Todos somos poucos para defendermos os nossos interesses. Sabem e bem que Cabo Verde não vai aderir a moeda única da sub-região por isso, não quiseram discutir esse assunto no nosso país.
Responder
-1 # Mendonça 13-03-2019 04:38
Cabo Verde não é para levar a sério, a cedeao percebeu que o objectivo de Cabo Verde era fazer propaganda política do evento e decidiu em bem deslocalizar para outro país mais serio e transparente, não esqueçamos que há pouco tempo gastamos 45 mil contos para realizar um teatro da CPLP
Responder