Pub
Por: Vittorio Nardo

Vittorio Nardo

A silagem é um dos processos de conservação das forragens verdes, sobretudo utilizada na produção do leite de vaca. Este processo consiste na conservação de forragens, sob a forma húmida, em meio ácido, produzido por fermentação láctica.

Tem como objectivos principais:

- Preservar ao máximo as características da planta ainda verde - valor nutritivo (açucares e proteínas);

- Um produto final apetente para que o animal facilmente o possa comer;

- Solução para algumas dificuldades como por exemplo o clima, o excesso de plantas ou a escassez de alimentos;

É importante referir que o sucesso de uma silagem depende de alguns factores como:

  1. - Composição química da forragem – matéria seca, riqueza em açucares, teor em proteínas;
  2. - Época de colheita da forragem – a época ideal do corte, para consociações de gramíneas é no início do espigamento e das  leguminosas, no inicio da floração. Nesta época a composição química das duas forragens é a mais equilibrada para o processo de ensilagem. 

Outro factor que tem a ver com a época do corte é o teor em matéria seca – o ideal é um teor entre 18% a 20%. Eventual pré-fenagem pode ser útil.   

Processo de ensilagem

Já vimos que a silagem é o resultado da fermentação da planta em meio ácido. Muito sumariamente, durante todo o processo de ensilagem podemos considerar 3 fases:

  1. Primeira fase: a respiração da erva:
  • dá-se em presença de oxigénio;
  • consumo dos nutrientes da erva (açucares e proteínas);
  • aumento da temperatura do silos – risco de sobreaquecimento.

Esta fase deve ser o mais breve possível, para isso, deve fazer-se um bom calcamento da erva e fechar o silos o mais hermética e rapidamente possível. Tudo isto para que as perdas no valor nutritivo da silagem sejam reduzidas.

  1. Segunda Fase:  fermentações indesejáveis
  • dá-se na ausência de oxigénio e trabalham os micro-organismos indesejáveis;
  • há consumo de nutrientes da erva – açucares e proteínas;
  • há libertação de substâncias que não nos interessam;
  • dá-se em meio pouco ácido;
  • há risco do apodrecimento se prolongar;

Tal como na fase anterior, interessa-nos que seja o mais curto possível, para que, mais uma vez, a qualidade da silagem não seja afectada.

Terceira Fase:  Fermentação láctica

Esta é a fase que mais nos interessa pois, é aqui que se vai atingir a estabilidade do silo – a silagem está pronta.

  • dá-se em meio muito ácido;
  • trabalham as bactérias lácticas que produzem o ácido láctico que vai conservar a erva;
  • a silagem está pronta, atinge-se a estabilidade do silo, não havendo já actividade microbiana e, portanto, consumo de nutrientes da erva.

Constitui-se como nosso objectivo principal que a 1ª e 2ª fases do processo de ensilagem sejam os mais breves possíveis. Para isso, interessa-nos criar condições favoráveis ao rápido desenvolvimento e acção das bactérias lácticas (meio muito ácido).

Como favorecer o início e a aceleração da fermentação láctica e consequentemente melhorar a qualidade da silagem?

  • mediante a utilização de conservantes na silagem.

Destacam-se dois tipos de conservantes – os biológicos e os químicos.

Os inoculantes biológicos – são bactérias lácticas que se adicionam à erva, aumentando a população desta no interior do silo.

Ao aumentarmos a população deste tipo de bactérias, faz-se com que a 3ª fase do processo de ensilagem se dê com maior eficiência uma vez que se produz maior quantidade de ácido láctico.

Conservantes químicos – permitem uma acidificação directa do meio, encurtando a fase das fermentações indesejáveis, favorecendo uma mais rápida acção das bactérias lácticas. Ganhamos desta maneira, tempo e, por outro lado, no final obtemos uma silagem de qualidade superior devido ao seu mais elevado valor nutritivo.

Actualmente existem máquinas operadoras que cortam a erva injectando ao mesmo tempo as bactérias na erva ao entrar no canal da máquina.

Formam-se, assim, balas de 400 a 550 quilos cada uma enfaixada numa película de plástico que tem a função de silo.

No caso do milho, a máquina corta toda a planta incluindo a espiga, em pedaços de cerca de 1 cm de cumprimento, sendo o processo de ensilagem idêntico ao acima descrito. 

Poderemos, assim, atingir produções na ordem das 50 a 60 toneladas de silagem de milho por héctar.

As espécies cultivadas podem ser gramíneas e leguminosas. 

Exemplo de produção de substância seca e de silagem verde em toneladas por hectar:

Quadro 1

Quadro 2

Quadro 3

São necessárias 600 a 700 gramas desta ração para a manutenção de uma cabra adulta.

Para cabritas em formação - 800 gr

Para cabras em produção – 1.300 gr

Uma cabra de raça Saanem no arco de uma lactação produz de 800 a mil litros de leite e dois cabritos.

BOVINOS

Na criação de bovinos podemos considerar as linhas de trabalho que se diferenciam pela solução genética e pela alimentação. São elas:

- criação vaca/vitelo para produção de carne;

- criação para produção do leite.

Iremos tratar criação vaca/vitelo para salientar a importância da ensilagem.

Quadro 4

 Quadro 5



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar