Pub

 Paulo Canuto

A quinta edição da Liga Play, um torneio de futebol juvenil para fomentar a inclusão social, e patrocinado pela Unitel TMais, já vai arrancar com a novidade de, este ano, o escalão Sub-19. Conversamos com Paulo Canuto, um dos dinamizadores da iniciativa, que explica como vai ser a prova deste Verão.

Santiago Magazine - Que novidades para a quinta edição da Liga Play?

Paulo Canuto - Esta é a 5ª edição, sendo que a primeira foi em 2015, a segunda 2015/2016, e daí em diante foi sempre por época. Na primeira edição a competição realizou-se no escalão SUB13, no segundo ano, foi SUB11 e SUB13, e desde então fomos aumentando escalão de modo a encaixar o natural crescimento das crianças. Nesse contexto, este ano teremos como uma das novidades, o escalão SUB19. No entanto, decidimos também esta época fazer uma experiência com o Futebol Feminino, no escalão SUB17.

Este formato vai se manter apenas nos sub-13 ou poderá ser alargado a outros escalões?

Penso que esta pergunta estará respondida no ponto anterior.

Um dos objectivos deste torneio é fomentar a inclusão social. A Liga Play tem-no conseguido?

A AEFCV, entidade que formaliza a LIGAPLAY, tem por objectivo a inclusão social através do desporto, ajudar a combater a delinquência juvenil e o abandono escolar, para além de contribuir para a qualidade do futebol Caboverdiano. No que tange ao abandono escolar, temos alguns exemplos de crianças que, para poderem ser convocados para os jogos, tiveram que (regressar) frequentar as aulas, sob pena dos monitores não premiarem com a participação nos jogos nos fins de semana. Por outro lado, com o novo espaço em remodelação, cedido pela CMP, que será a SEDE da AEFCV, contamos ter espaços dedicados e melhor acompanhamento das crianças, fora do âmbito puramente desportivo/futebolístico, nomeadamente com artesanato e acompanhamento escolar.

Há interesse dos clubes federados em participar na prova?

Sim, temos alguns clubes federados, como por exemplo o Sporting, o Desportivo da Praia e o Benfica da Praia, Kumunidade, Delta, Esperança e Bairro, que, reconhecendo a organização da AEFCV, e a grande mais valia de estarem a competir durante o ano, têm marcado presença assídua. Poderá ter algumas informações adicionais no link https://ligaplaycv.com/pt/tournament/465787/summary.

Quantas equipas/bairros participam nesta edição?

Nesta 5ª edição, contamos com 65 equipas em Santiago, distribuídos por SUB11, SUB13, SUB15, SUB17, SUB19 e FEMININO SUB17. Realçar no entanto que, à semelhança dos anos anteriores, contamos promover a LigaPlay noutras regiões, nomeadamente S. Vicente, Tarrafal Santiago, S. Nicolau e Santo Antão Sul.

Que metas têm preconizado?

Em termos desportivos, o objectivo é conseguir sustentabilidade ao que já se alcançou, e alargar a todas as ilhas de Cabo Verde. Por outro lado, o objectivo social, no que toca a acompanhamento e suporte às crianças e famílias mais necessitadas, está num horizonte cada vez mais próximos, sendo uma meta desde a reunião de preparação para a primeira edição. O acompanhamento escolar, médico, social (através de sociólogos), está planeado e pensamos atingir esse objectivo nos próximos anos.

Porquê só sub-13 masculino? E as meninas?

Existem vários escalões masculino e em todos eles, aceita-se um numero indeterminado de jogadoras, sendo que no máximo duas podem estar no campo ao mesmo tempo. Isso para evitar demasiado desequilíbrio e também por questões de integridade física. Entretanto, com o lançamento do escalão SUB17 Feminino, estará dado o primeiro passo para que nos próximos anos sejam criados mais escalões e assim abrirem mais oportunidades a um maior número de jogadoras.

Que prémios vão ser entregues?

Todos os anos temos o prémio de 1º, 2º e 3º Classificados, Taça Fair-Play, Melhor Marcador e também medalhas para os árbitros.

Qual o papel da Unitel Tmais?

Desde a primeira hora, a UNITEL Tmais foi, e continua a ser, uma parceira fundamental. Acreditou, apoiou, e o que era antes um projecto com 317 crianças (1ª edição), chegamos, após 5 edições, a 1.189 crianças o ano passado, e este ano contamos ultrapassar as 1.500, isso somente na Praia. Contando com outras ilhas, estimamos ter chegado a 2.800 crianças na época passada, que poderá aproximar-se de 3.500 este ano. Pensamos que a parceria tem sido muito interessante, e que tem todas as condições para continuar. De realçar que o apoio da UNITEL Tmais também serviu de exemplo, e muitos outros parceiros apoiaram, por vezes pontualmente. Entretanto, a UNITEL Tmais, é sem dúvida um pilar essencial para o garante do projecto.

E quem é o homem por detrás da Liga Play?

Em 2015, juntamente com mais dois colegas, fizemos uma primeira experiência de arrancar com a LigaPlay, por termos identificado a ausência de competição nos escalões de formação, factor fundamental para desenvolvimento do futebol. Também acreditávamos que era uma forma de atrair as crianças para a prática do desporto, e dessa forma contribuir para que tivessem uma maior inclusão na sociedade, evitando, nomeadamente, delinquência juvenil e abandono escolar. Em 2017, após a terceira edição, criamos a AEFCV – Associação da Escola de Futebol de Cabo Verde, sendo que eu sou o Presidente.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar