Pub

Técnico MAA 02 Inforpress

O Governo já gastou cerca de quatro mil contos no combate aos gafanhotos, que está a afectar, sobretudo a ilha de Santiago, revelou o director-geral da Agricultura, Silvicultura e Pecuária, José Teixeira.

O responsável, que falava à imprensa, na zona de Cidadela, arredores da Cidade da Praia, para fazer um ponto de situação da campanha de combate à praga, informou que estes gastos são operacionais e que não incluem as viaturas e o equipamento de tratamentos.

Acrescentou, que no âmbito da campanha agrícola fitossanitária, o Governo, “que se prepara há seis meses”, reforçou verbas para enfrentar todas essas situações.

José Teixeira informou ainda que essa campanha, que iniciou nos meios rurais, já chegou aos centros urbanos com intervenções no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na Presidência da República e no Palácio da Assembleia Nacional.

“Agora estamos na cidade para ver jardins e também acalmar os ânimos das pessoas urbanas porque não estão habituadas com gafanhotos, que não fazem nada a ninguém e só comem graminhas e plantas”, avisou.

No entanto, garantiu que está se a trabalhar para que haja a diminuição dos gafanhotos, acautelando que esse controlo é aliado ao combate que se faz nos termos da estratégica do Ministério da Agricultura quanto ao ciclo de nascimento desse insecto.

“Os gafanhotos não nasceram todos ao mesmo tempo, vamos ter diminuições, mas o controlo é aliado à estratégica de combate que o ministério tem traçado há muito tempo”, explicou o responsável da Direcção Geral da Agricultura, Silvicultura e Pecuária (DGASP).

Em relação à situação agrícola José Teixeira disse que neste momento estão a proteger as zonas onde há possibilidade de haver um bom ano agrícola, designadamente nas zonas mais altas.

De acordo com José Teixeira, as zonas mais afectadas com a praga de gafanhotos estão nos municípios da Praia, Ribeira Grande Santiago, São Domingos, Santa Cruz e Tarrafal.

A praga afecta também as ilhas do Fogo, São Vicente e São Nicolau.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar