Pub

d.arlindo furtado

Cardeal alerta para a possibilidade de haver “uma organização criminosa com intenções desconhecidas” por detrás dos desparecimentos sobretudo de crianças no país. Edvânia, 10 anos, é o caso mais mediático, tendo originado uma manifestação pública a pedir mais atenção das autoridades.

 

O Cardeal e bispo de Santiago, Dom Arlindo Furtado, considera “muito preocupante, grave e chocante” a situação de desaparecimento de pessoas em Cabo Verde, considerando que há “qualquer coisa que está a acontecer que não dá para entender”.

Em declarações ao site da Diocese de Santiago aventou à possibilidade de haver “uma organização criminosa com intenções desconhecidas”.

O bispo de Santiago mostra-se ainda preocupado, sobretudo com o desaparecimento de crianças, crime esse que classifica de “hediondo e gravíssimo”.

Para Dom Arlindo Furtado, esta situação tem de ser resolvida e desmantelado o grupo de raptores.

Por outro lado, alerta as famílias, autoridades e a todos os cidadãos em geral a estarem mais atentos e dispostos a contribuir no sentido de prevenir, evitar e denunciar esse tipo de crime.

O cardeal manifesta solidariedade aos familiares das vítimas e interpela a ajuda de Deus para que a situação seja resolvida de forma rápida com toda a eficácia possível.

Num curto período de tempo contabilizaram-se três pessoas desaparecidas. A 28 de Agosto, Edine Jandira Robalo Lopes Soares, 19 anos, conhecida por Loke, deixou a casa alegando que ia levar o bebé para o controle no PMI (Programa Materno-Infantil), na Fazenda, Praia. Até hoje a mãe e o filho continuam desaparecidos.

No dia 14 de Novembro, Edvania Liciane Carvalho Gonçalves, 10 anos de idade, desapareceu da casa dos pais em Eugénio Lima, Cidade da Praia, e ainda não foi localizada.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+2 # Carlos lopes 25-12-2017 10:52
O nosso primeiro Ministro devia pronunciar sobre isso na sua mensagem de Natal. Vamos ver o que dirá o nosso Presidente da Republica sobre o caso na sua mensagem do fim do ano se e que a vida humana tem valor para ele.
Responder