Pub

Instituto da Criança e do Adolescente (ICCA) demarca-se do Miss Beleza Infantil Praia 2017, onde seu nome figurava como parceiro, e diz ser totalmente contra este tipo de iniciativas.

“O concurso Miss Beleza Infantil Praia 2017 não tem o aval do ICCA”, declara o Instituto em nota divulgada ao final desta tarde no site do Governo. O comunicado sublinha, aliás, que no passado dia 2 de Maio, já tinha emitido um parecer negativo à realização do mesmo tipo de evento em Santa Catarina de Santiago.

No entender desta instituição pública encarregue de promover e executar a política governamental para a protecção e defesa dos direitos da criança e do adolescente, este evento não terá bons impactos nas crianças, suas famílias e na sociedade em geral.

Na nota publicada na página do Governo, o ICCA esclarece que só teve conhecimento desse concurso por volta das 12 horas desta segunda-feira, 13, sublinhando “que não só é contra a realização desse concurso como também é contra de outros eventos do tipo".

O instituto não esconde o seu mal-estar em relação a este assunto, sobretudo porque não assume que tenha sido parceiro do evento, contrariando as afirmações da promotora, a Dona Bey, que disse ao Santiago Magazine ter enviado uma carta solicitando autorização e parceria do instituto desde Março, mas também “pelo impacto que poderão ter na vida das crianças/meninas”.

Contactado por Santiago Magazine, a promotora do evento afirma ainda não ter conhecimento oficial da posição ora assumida pelo ICCA. "Ficaram de chamar e dizer o que decidiram. Inclusive, disseram que seria a primeira pessoa a ser informada. Pelos vistos, foram anunciar à comunicação social antes de mim. E não foi isso que acordámos", garante Isabela Afonso que insiste em afirmar que o ICCA sabia do concurso e que seria, potencialmente, um dos parceiros.

E agora? "Agora, vou esperar para me chamarem, como combinado, e dizerem o que decidiram. Até lá, o Miss Beleza infantil Cidade da Praia continuará de pé", assegura.

Este concurso de beleza infantil, refira-se, começou a ser contestado nas redes sociais, mas foi o artigo desta manhã publicado por este diário digtal, Santiago Magazine, a provocar a rápida reacção do ICCA.

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar