Pub

Director Da Segurança Nacional

O director nacional da Segurança, Armindo Miranda, disse na noite de segunda-feira que os membros do Governo estavam “em choque” com a morte do ministro-adjunto do primeiro-ministro e da Integração Regional, Júlio Herbert.

Em declarações aos jornalistas, após as perícias médico-legais e transferência do corpo de Júlio Herbert para a morgue, que aconteceu por volta da 21:30 de segunda-feira, Armindo Miranda afirmou que todas a entidades “fizeram e estão a fazer” o seu trabalho, no sentido de apurar o que esteve na origem deste acontecimento.

“Tudo o que se pode dizer vai ser feito numa comunicação esta terça-feira. Neste momento, todo o pessoal está em choque, ninguém consegue falar”, disse o responsável, confirmando que o ministro foi encontrado no seu gabinete e já sem vida - Santiago Magazine sabe que poucas horas antes de falecer, Júlio Herbert havia despachado, por volta das 16h00, alguns dossiers pendemtes com o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, sem que ninguém suspeitasse da tragédia que viria a seguir.

Figuras como o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, e o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, estavam no Palácio do Governo à hora em que o corpo de Júlio Herbert ainda se encontrava no local para ser removido.

Júlio Herbert, 65 anos, era formado em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, de Brasília, e em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Entre outros cargos, desempenhou o de cônsul-geral adjunto de Cabo Verde em Boston, Estados Unidos, assessor político-diplomático da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), conselheiro do Presidente da República e conselheiro político e diplomático do primeiro-ministro.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # toto 23-10-2019 14:08
O Senador e candidato a Presidência dos EUA Berner Sanders disse a pós infarto -uma vez recuperado- que ele tinha ocultado alguns sinales e se arrepende de não assistir ao hospital , tomando este exemplo faço um apelo para ao menor sintoma no peito não minimizar-lho e acudir ao profissional . Minhas condolências a filia e amigos de J.H
Responder