Pub

UCSILva

O primeiro-ministro afirmou em Assomada, Santa Catarina, que a instalação da Unidade de Investigação Criminal (UIC) da Polícia Judiciária (PJ) para Santiago Norte, prevista há 22 anos, representa aposta do Governo na segurança.

Segundo o chefe do executivo esta unidade da polícia científica cabo-verdiana, sediada na “segunda cidade mais importante da ilha de Santiago”, representa “um esforço de desconcentração”, de levar os serviços e as instituições para proximidade de acção e de actuação, em função das necessidades específicas das regiões

Durante o seu discurso, Ulisses Correia e Silva enalteceu o trabalho que a PJ tem feito e desenvolvido em prol da segurança e prevenção e na luta contra a criminalidade em Cabo Verde.

Nesse sentido, disse acreditar que a UIC ora inaugurada vai servir de “incentivo e estímulo” para que a polícia científica cabo-verdiana possa continuar a desempenhar o “bom trabalho” que têm feito.

Na ocasião, o governante lembrou os “importantes investimentos” na PJ a nível dos recursos humanos, referindo-se ao novo estatuto do pessoal, novos efectivos, a nível da formação, nos meios e equipamentos de táctica e segurança, sistemas de apoio à investigação criminal e científica.

“De 2016 a 2020 o Governo duplicou os valores afectos à justiça e à segurança. O Orçamento de Estado para 2020 vai continuar a apostar na justiça e na segurança”, comprometeu-se o primeiro-ministro.

Por sua vez, a ministra Janine Lélis lembrou que o Governo assumiu no seu programa para esta legislatura garantir à PJ os meios financeiros e logísticos para o reforço institucional, propósitos, a seu ver, que foram cumpridos e que há-de reforçar a eficácia da reacção da PJ, seja a nível da sua corporação e jurisdicional, particularmente com recurso à requalificação dos meios de investigação e de prova.

“É o que estamos a fazer. Estamos de facto a cumprir. Ao inaugurarmos hoje na cidade de Assomada esta Unidade de Investigação Criminal damos mostras de engajamento e determinação quanto ao que nós propusemos fazer”, regozijou-se.

Entretanto, informou que o Governo está ciente de que a criminalidade, para além de se diversificar (…), tornou-se “mais complexa, difusa e especialmente nociva”, colocando em causa o normal funcionamento das instituições públicas e privadas e, consequentemente, a paz, a segurança e a tranquilidade.

Por tudo isso, considerou a inauguração deste espaço “de grande significado e importância” não só para a PJ, mas sobretudo para a população da região Norte de Santiago, tendo em conta que a mesma está vocacionada para combater a criminalidade e dar mais segurança aos cidadãos.

Na ocasião, a ministra anunciou que a unidade da Boa Vista vai ser também reforçada e “verdadeiramente vocacionada para a investigação criminal”.

A sede da polícia científica cabo-verdiana para a região Santiago Norte encontra-se instalada no edifício ao lado do prédio habitacional IFH.

É composto por uma única brigada de investigação criminal integrada por um inspector-chefe, sete inspectores e um núcleo de segurança, conforme informações avançadas pelo director nacional da PJ, António Sebastião Sousa.

Compete à esta unidade a prevenção e investigação de crime dos tráficos de estupefacientes e substâncias psicoativas, entre outras, cujas investigações não sejam atribuídas à Direcção Central de Investigação Criminal, designadamente crimes com dimensão transnacional, ou que impliquem cooperação internacional, e em outros crimes complexos.

Assim, até ser elevada à categoria de departamento, a unidade, no desenvolvimento das suas actividades, vai contar desde já com a parceria do Ministério Público, Polícia Nacional, serviços de Saúde e demais serviços públicos sediados na região Norte de Santiago.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Atento 19-10-2019 06:30
Avé, mas como o ser humano gosta de inventar mas não digo, passar bem!
Responder
0 # paiol 17-10-2019 17:30
Só agorra?
Responder