Pub

gege
Os 35 mil contos que o BCA acusou a funcionária Rosangela Semedo de ter desviado pertence ao jogador internacional cabo-verdiano Gegé. O Banco repôs o montante de 32 mil contos, mas a quantia continua indisponível na conta do jogador. E vai haver acção cível também contra o BCA.

Afinal história é diferente da que o BCA contou. O banco, na verdade, só apresentou queixa contra a funcionária Rosângela Semedo, depois de Gegé Barros, atleta da selecção nacional e que joga na Arábia Saudita, ter confrontado a instituição.

Gegé, segundo a advogada que o assiste, desconfiou que algo estava errado com o seu dinheiro desde o dia 10 de junho, mas só no dia 18 confirmou que haviam retirado 35 mil contos da sua conta a prazo.

O BCA prometeu avançar com uma auditoria para comprovar o caso, mas depois de muitas voltas, sem chegar a nada, o jogador ameaçou trazer tudo a público numa conferência de imprensa agendada para sexta-feira, 28. Sucede que o BCA acabou por repor na conta do jogador 32 mil contos, ao mesmo tempo que acusava a sua funcionária de ter desviado tal valor.

O montante, todavia, continua indisponível, segundo nos contou os assistentes judiciais de Gegé, que regressou ontem, sábado, a Arábia Saudita, onde joga.

A queixa formal de Gegé contra o BCA deu entrada na Procuradoria no dia 22, dias antes de o banco "se fazer de vítima e acusar uma sua funcionária", conforme nos conta os assistentes de Gegé, que preferiram ficar em animato.

Irritados com o funcionamento desse banco, Gegé e seus advogados decidiram intentar uma acção judicial contra o BCA por danos causados ao jogador que ainda não consegue movimentar um centavo, apesar da reposição de 32 mil contos já feita e que têm cópia. A queixa tem a ver com o facto de o BCA ter devolvido o valor desviado, mas sem que o dinheiro esteja disponível. Para os advogados de Gegé, "o BCA quer se ilibar do problema apontando o dedo a uma funcionária", quando sabe "que a supervisão não funcionou durante dois anos em que os desvios foram feitos".

"É só para constar e para o caso ficar assim como está que o BCA enviou cópia do depósito e ficar ileso, mas sabem que a culpa é do banco que não se precaveu", observa a advogada, que adianta uma queixa contra o BCA junto do supervisor, o BCV, a entrar já na segunda-feira.

Rosangela Semedo, segundo fontes de Santiago Magazine, acabou por admitir em tribunal - que a pôs sob Termo de Identidade e Residência - a autoria do crime, enquanto o BCA "se faz de vítima de um problema, claramente, institucional, porque põe em causa a sua imagem".

Gegé estava em Cabo Verde para uma acção social no bairro de Tira Chapéu, de onde é natural, juntamente com Babanco. E descobriu o roubo ao pretender movimentar dinheiro para essa causa social.

Foto: maisfutebol.pt. Gegé ainda no Paços de Ferreiram Portugal



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+4 # Camões 01-07-2019 10:59
Meu Deus!! Camões deve estar a saltar no túmulo com esta escrita.
Responder
-4 # Crioula 30-06-2019 17:02
É tão feio odja jornal ta informa população ku notícias nada haver,
Dinheiro foi devolvido então? Nhos dexa fala atoa quem q devolve dinheiro foi a própria Rosângela, só q quantia devolvida sta congelado por averiguações,
Responder
-1 # EUCLIDES 30-06-2019 12:14
NHOS KA SABI SKREVI PORTUGUÊS???

Nhos dal na kriolu, pelo menus ta fika maz credivel!!!
Responder
+7 # tony marrins 30-06-2019 19:58
Acho que vcs são familia da Rosângela
Responder