Pub

Cães

O Movimento Civil para as Comunidades Responsáveis (MCCR) “demarca-se expressamente” da partidarização da organização e garante que tem desenvolvido um trabalho de consciência humana e social perante a natureza e os animais.

Esta posição surge na sequência de afirmações proferidas segunda-feira, pelo vereador do Saneamento da Câmara Municipal da Praia, António Lopes Silva, quanto às políticas da autarquia no tratamento de cães de rua.

Essa posição da câmara, defende a organização da sociedade civil em comunicado de imprensa, desvaloriza o propósito e as reais motivações do trabalho que têm desenvolvido.

“O MCCR demarca-se expressamente da partidarização do Movimento, de seus princípios e actividades, assim como de qualquer das comunidades integrantes”, lê-se no documento enviado à Inforpress.

Por isso, condena   as afirmações do vereador da Câmara Municipal da Praia que conota o movimento cívico a orientações partidárias.

“O Movimento condena, por isso, as afirmações do vereador que pretende conotar o movimento cívico a orientações partidárias, desvalorizando, desta forma o nosso propósito, as nossas reais motivações e o trabalho que temos vindo a desenvolver”, sublinha.

Por outro lado, relembra que a edilidade não tem cumprido o protocolo assinado em Março de 2018, que determina uma gestão ética da população canina.

“A CMP assinou um protocolo com o MCCR, em Março de 2018, para a gestão ética da população canina e no documento assume que não abaterá nenhum cão, a não ser nos casos que justificarem eutanásia, ou seja, de doença incurável, estando o animal em extremo sofrimento, ou em caso de os cães serem considerados de perigosos”, lê-se no documento.

Acrescenta ainda que a câmara assumiu os princípios da “gestão ética da população canina” de acordo com as melhores práticas internacionalmente recomendadas”.

O MCCR diz que tem trabalhado com várias organizações internacionais de defesa dos direitos dos animais e tem apresentado soluções à CMP para uma gestão ética da população canina, bem como uma via do diálogo para resolver a situação e fazer cumprir o protocolo celebrado.

“A câmara municipal não manifestado qualquer interesse no trabalho da MCCR, tem-nos apelidado de comunidade irresponsável e ignorado todo o esforço de centenas de cidadãos profundamente activos e engajados nesta causa”, acusa organização de sociedade civil.

Esta segunda-feira, em conferência de imprensa, a Câmara Municipal da Praia apontou que tem havido “deturpações grosseiras” quanto às políticas da autarquia no tratamento de cães de rua, que “roçam inclusivamente a manipulação e inverdades”.

Esta posição foi defendida pelo vereador José António Lopes da Silva, avançando que os responsáveis camarários ficaram espantados na forma como nos últimos dias tem sido tratado o assunto, por uma associação que se chama comunidades responsáveis, “que pelos vistos de responsabilidade têm muito pouco”.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar