Pub

 

O Ministério Público assegura, em comunicado, que a equipa de investigação conjunta apresentou, no prazo estabelecido, o primeiro relatório intercalar sobre a investigação relacionada com o desaparecimento de crianças na Cidade da Praia.

Segundo o documento publicado no site do MP, do relatório “constam informações sobre o estado de evolução da investigação em termos de recolha e consolidação de prova e bem assim os termos da estratégia processual a ser seguida”.

No decorrer da investigação, que está em segredo de justiça, prossegue o comunicado, foi realizado um “conjunto vasto de diligências de prova legalmente previstas e que permitiram, entre outras, consolidar alguns meios de prova, recolher materiais e objectos que foram submetidos a exame laboratorial, recolha de informação e de elementos de prova com auxílio da cooperação policial internacional, buscas domiciliárias e identificação de pessoas com relevância para investigação”.

“As diligências investigatórias continuarão, conforme estratégia de investigação apresentada para esta fase, que serão realizadas de forma mais intensa e envolvendo mais elementos policiais, entretanto requisitados para auxiliarem a equipa”, lê-se no comunicado no qual o MP promete que, no prazo de trinta dias, a equipa apresentará novo relatório intercalar sobre a evolução das investigações.

De acordo com o MP, a equipa de investigação “está comprometida, dentro dos limites legalmente estabelecidos, a tudo fazer para descobrir o paradeiro dos desaparecidos e identificar os responsáveis, em ordem à respectiva responsabilização criminal”.

“Foram recomendadas aos órgãos de policia criminal, no âmbito das respectivas competências preventivas, medidas concretas que deverão ser implementadas e divulgadas à população”, conclui o comunicado.

Recorde-se que a equipa de investigação, constituída por sete pessoas - dois magistrados do Ministério Público, três elementos da Polícia Judiciária e dois da Polícia Nacional - foi criada nos primeiros dias de Fevereiro para trabalhar em exclusivo nestes casos depois de as diligências de investigação desencadeadas até aquela altura não terem produzido resultados.

Com Inforpress

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Walter 19-03-2018 14:44
Como é possivel uma investigação desse tipo constituida por sete elementos policiais...esta muito errado
Responder
0 # Investigação de m... 18-03-2018 11:50
Não foi dito que o Governo ia pedir ajuda internacional? Desde quando investigadores caboverdianos descobriram alguma coisa a não ser através de denúncia? Cambada de PATETAS!
Responder
0 # Atentocv 18-03-2018 08:50
Resumindo e concluindo:
Não se sabe quem raptou as crianças, nem onde estão.
Responder
+1 # João Garcia 17-03-2018 21:41
O desafio é grande. A esperança também! Boa sorte aos investigadores!
Responder