Pub

Helena Paiva

A embaixadora de Portugal em Cabo  anunciou esta quinta-feira que o governo do seu país vai disponibilizar mais de 55 mil contos (meio milhão de euros) para a reabilitação da residência estudantil de Pedra Badejo.

Segundo Helena Paiva, existem dois grandes projectos no município que estão a ser apoiados pela cooperação portuguesa, nomeadamente a edificação da residência estudantil de Pedra Badejo, que ainda se encontra de portas fechadas, devido a um erro detectado na instalação logo na altura da sua inauguração.

A diplomata assegurou, durante encontro que manteve com o autarca e sua equipa, que a reabilitação da infra-estrutura está prevista para o final do ano.

‟Os estudantes vão ficar alojados enquanto estudam, são projectos grandes, financiados pelo nosso ministério de segurança social e do trabalho em Portugal”, frisou.

Contudo, realçou, existe um outro projecto, fruto também da cooperação portuguesa, que é o apetrechamento da biblioteca escolar com mais de 500 livros infantis, espólio que já se encontra arrumada numa das escolas do município.

‟Têm professores formados por nós na dinamização de livros e da biblioteca, está sendo um sucesso nessa vila e para a comunidade no acesso ao livro, à literatura e ao interesse pelo livro desde pequenino”, acrescentou.

Deste modo, afirmou que são dois projectos ‟emblemáticos” existentes este momento, realçando que os vereadores apresentaram outros projectos, que serão posteriormente analisados tendo em vista a sua aprovação.

Por seu turno, o autarca, Carlos Silva, disse que residência estudantil de Pedra Badejo está a fazer ‟muita falta”, considerando que a sua reabilitação irá atender a uma reivindicação antiga dos munícipes e não só.

O autarca aproveitou a visita da embaixadora para agradecer ao governo português por aquilo que tem feito em prol do desenvolvimento do município de Santa Cruz, destacando, sobretudo, o apoio na integração dos santa-cruzenses no exterior.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar