Pub

Olavo Correia Conferência

O Regime jurídico de concessão de serviço público aeroportuário de apoio à Aviação Civil nos aeroportos e aeródromos do país que inclui a operação, manutenção, financiamento e expansão foi aprovado ontem, quinta-feira, na especialidade.

Entretanto o presidente da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento, José Maria Veiga, e deputado do PAICV, manifestou em declarações à imprensa alguma preocupação no que se refere à decisão de concessão do serviço público por adjudicação directa, defendendo neste sentido, a concessão por concurso público.

“A nossa preocupação de ser ajuste directo é porque o Governo já anunciou que a intenção é colocar todos os aeroportos num único pacote e fazer a sua concessão,  portanto, são infra-estruturas importantes construídas com o esforço dos cabo-verdianos, que precisam ser rentabilizadas”, disse, observando que para serem rentabilizadas o Governo precisa escolher e encontrar o melhor parceiro com condições técnicas e financeiras para fazer a exploração desses aeroportos e fazer a sua rentabilização para que a mesma possa reverter em renda para o Estado.

Para José Maria Veiga, essa competência técnica e financeira só será possível se o processo for por concurso público, questionando que ao afigurar este ajuste directo nessa lei de concessão se não se estará a preparar cumprir um compromisso já existente.

Considerou, por outro lado que neste momento a ASA está a desempenhar bem o seu papel e que ao se retirar a concessão dos aeroportos à ASA e conceder a uma empresa privada, não há garantias de que a concessão vai continuar a gerar receitas para o estado e ser feita em benefício dos cabo-verdianos.

Por seu turno, o deputado do MpD, Luís Carlos Silva, garantiu que já estão criadas todas as condições para o processo de concessão que, conforme lembrou, será feito de acordo com a lei.

“O ajuste directo é uma das opções, caso o Governo não conseguir chegar a bom porto terá sempre a adjudicação directa como opção”, indicou.

Afiançou, por outro lado, que com a aprovação do referido regime o Governo irá dotar o País de um novo regime para serviço de gestão de aeroportos e aeródromos.

“Pensámos que este novo regime vai aumentar a eficiência e eficácia dos nossos aeroportos, portanto os aeroportos vão poder contribuir para o sucesso da economia”, afirmou, sublinhando que com este novo quadro regulatório será possível concretizar a promessa de crescimento de 7% da economia.

O diploma foi aprovado na especialidade, mas será ainda levada à plenária para discussão e aprovação na globalidade.

A referida Proposta de Lei foi aprovada na generalidade no dia 14 de Junho com os votos favoráveis do MpD. A Bancada Parlamentar do PAICV e os Deputados da UCID votaram contra.

A apresentação do diploma foi feita pelo vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # AGUA água 22-06-2019 23:46
Mais agua... muita agua para este caminhão..... ajudem com votos a este governo de forma que saia daí, senão ficamos todos com uma mao ..... .... . ..... ... Vao inventar mais vendas.......
Responder