Pub

janira hopfer almada

A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada (JHA), utilizou a sua página do facebook para alertar o país sobre eventualidade de se estar perante a dilapidação de bens públicos, em reação à notícia relacionada com a venda do Liceu da Várzea. “Porque, de facto, o que está acontecer é uma autêntica venda da terra, numa reedição daquilo que aconteceu na década de 90”, afirma em jeito de conclusão.

Na sua reação, a líder do maior partido da oposição, trouxe à baila "a concessão do transporte doméstico em regime de monopólio, a venda da TACV, e o anúncio da venda da Electra e a concessão dos aeroportos".

“Primeiro, e nos transportes, deram o nosso mercado doméstico, em monopólio, sem qualquer contrato. Depois, venderam a Companhia de Bandeira a preço de rifa. E nem sequer receberam, pela venda, um tostão! Agora, vendem o Liceu da Várzea. Depois, será a venda (já anunciada) da Electra. A seguir promoverão a concessão (já anunciada) dos nossos Aeroportos”, observa Janira Hopffer Almada, para questionar que “Terra teremos, depois, para os cabo-verdianos”, se se continuar esta saga de venda e concessões de bens públicos.

liceu da várzea

A presidente do PAICV, que fez questão de reconhecer que “toda e qualquer Embaixada ou Representação Diplomática tem o direito a espaços dignos para construção”, defende, no entanto, este direito não deve ser materializado “à custa do património edificado do Estado”.

“Será que a Cidade da Praia não tinha mais nenhum espaço para albergar uma Embaixada? Será que tínhamos mesmo de vender um Liceu que foi localizado estrategicamente para servir diversas Comunidades? Será que o dinheiro está acima de tudo? Se o Governo legitimamente escolhido pelo Povo, não protege esse mesmo Povo, quem é que protegerá?”, pergunta JHA, para quem “o povo escolheu o governo para governar e não para vender o nosso país”.

Para a presidente do PAICV, “é hora de o Povo começar a mostrar a este Governo que quem manda nesta Terra é cada cabo-verdiano que, com o seu voto, deu um mandato ao MpD para governar e não para delapidar. Já é hora de todos e cada um começar a tomar partido e posição, sob pena de amanhã ser tarde demais”.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # JJ Costa Pina 08-05-2019 16:36
Sou a favor de a embaixada e as outras construções aí previstas pelos americanos sejam instaladas em segurança numas das belas encostas da Praia, ganhando assim com esses investimentos, criando, em contrapartida, um bairro misto contribuindo assim para a melhoria das condições de habitação dos desalojados, maior inclusão, melhor ordenamento da cidade e felicidade a esses cabo-verdianos.
Assim todos ganham. A Escola fica onde deve permanecer devendo o Governo conseguir seu upgrade junto de Luxemburgo, país que tem feito excelentes escolas para C.Verde. O Taiti é para ajardinamento (como diz a Dra Ondina Ferreira) embelezamento com fontanas de agua, lazer e comodidade para a Praia que não tem nenhum outro espaço de beleza referencial central como Taiti mesmo que seja necessário mais expropriação para alem daquela que o governo está a fazer para alocar o liceu!
Adiante com a negociação para ganharmos todos e não continuar a fazer coisas contra os praienses!
Responder
+4 # Marcos Soares 08-05-2019 15:20
Da aqui a pouca o MPD vai vender o mar, as montanhas e os cabo-verdianos.
Responder
-3 # Amarildo Barreto 08-05-2019 15:03
Em todas as Cidades capitais do mundo, os bairros (as ruas e os seus edifícios) onde as missões diplomáticas se instalam, valorizam-se automaticamente. O Governo, ao conceder todas as facilidades aos Estados Unidos para a construção da sua Sede Diplomática, deu um grande passo no sentido da valorização da Várzea, bairro que desde o tempo colonial tem sido sempre marginalizada. Várzea valoriza-se ao acolher a sede da missão da maior potência do mundo. Quem diria que Várzea, não outro bairro mais elitista, mereceria esta grande distinção. Parabéns Várzea! No mínimo, é incompreensível a sanha da líder do PAICV contra a cedência, por venda, do terreno onde vão ser construídas as instalações da Missão. Argumenta o valor histórico do Liceu da Várzea, mas é incapaz de apontar um único facto histórico relevante em que foi palco o Liceu da Várzea. Cai por terra a argumentação histórica. Espaço digno e estratégico para a edificação do novo Liceu que dê a cobertura àquela área. Dois novos estabelecimentos de ensino liceal – Amor de Deus e Miraflores - surgidos depois da instalação do Liceu na Várzea, induziram a reconfiguração do mapa de estabelecimentos do ensino Liceal, na área de cobertura do Liceu da Várzea. Senhora Líder, antes de um discurso inflamado, devia, pelo menos, ouvir o Governo, para não falar debalde. Vaga de privatizações. Senhora Líder, a senhora sabe muito bem o que todos os cabo-verdianos sabem: os TACV nos finais de 2015 já não tinham sequer aviões seus. O boeing 757 “Emigrante” tinha avaria grossa nos motores e, ainda, sobre ele pendia um mandato de arresto; Os donos dos ATR já tinham requerido a devolução dos mesmos; A somar isso tudo, os TACV não tinham crédito algum para contratar qualquer leasing de aviões… Os TACV voariam com quê…? Hoje temos; Cabo Verde tem duas Empresas de aviação de direito cabo-verdiano…e há espaço para aparecimento de outras… Senhora Líder, sobre esta matéria, a senhora não convence a qualquer militante do PAICV, minimamente informado… Minha senhora, porque é que é contra a valorização da Várzea? O que é que tem contra o investimento directo estrangeiro, porque o que disse com relação aos Estados Unidos, aplica-se a todos os empresários estrangeiros que investem na área do Turismo, seja TUI/RIU, IBEROSTAR, MÉLIA, etc. Reminiscência do Comunismo? É o reavivar do antiamericanismo do tempo da guerra fria? Ou será que é contra a valorização do bairro da Várzea? Será que a Várzea não tem dignidade para receber a Embaixada da primeira potencia do mundo?
Responder
+1 # Sabo 08-05-2019 13:45
O mais estranho desse negocio é que a argumentacao proferida pelo governo é no minimo descabido, dizendo que a localizacao do actual liceu nao responde as demandas mas o mesmo governo vem apagar o lume dizendo que vai construir um liceu no Taiti, para quem nao conhece taiti, este fica a menoa de mil metros do liceu da varzea... que falta de imaginacao!!, porquê que o espaco do taiti nao foi utilizada pela embaixada??? Por mim os americanos vao criar um centro de espionagem internacional e passaremos a ser visto com outros olhos pelos inimigos da america. Somos pobres mas devemos ter orgulho, nao podemos estar abrir as pernas porque o outro twm dinheiro!!!
Responder
0 # Brabo 09-05-2019 11:58
Casmurrice tem limites. Porque têm tanto medo dos americanos? Porventura os Russos e Cubanos não têm cá os seus centros de espionagem? Falar balelas, melhor ficar calado.
Responder
+1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 08-05-2019 10:55
Neste exacto e preciso momento, estou a ler a PORTARIA CONJUNTA número 14/2019 de 6 de Maio, devidamente assinada pelo senhor Ministro das Finanças e senhor Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, respectivamente, Olavo Correia e Luís Filipe Tavares. No Artigo 2 da referida portaria, mais concretamente sobre a contrapartida financeira, vem escrito, de uma forma clara, que pela ALIENAÇÃO DO LICEU DA VÁRZEA, O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PAGARÁ AO ESTADO DE CABO VERDE O VALOR DE 5.800,000 USD, CORRESPONDENTE À QUANTIA DE 570 MIL CONTOS CABO- VERDIANOS. Eu, SÓCRATES, como praiense e cidadão nacional, estou estupefato e à espera da comunicação oral do senhor Primeiro Ministro e da Senhora Ministra da Educação sobre este facto, em verdade, muito estranho e insólito no nosso País.
Responder
0 # Brabo 09-05-2019 12:06
Estranhou porquê? Trocar um terreno por uma escola moderna num local + valorizado é crime? Só agora virou crime? Trocar o terreno de uma escola em ASA para construção de um Hotel (Hilton) de um privado(não País), efectivado pelo Dr. José Maria Neves, e deslocar a referida escola para um novo edificio construido de raíz em Palmarejo foi um crime? Então vamos pedir-lhe contas também. Se não foi, este também não é, então vamos aceitar que isso vai ser bom para Praia e para Cabo Verde. Todos irão ganhar. O resto é tudo politiquices e populismo. Acordem que sonhar é bom, mas trabalho é o que dá sustento; Avante Cabo Verde!
Responder
+1 # josé antonio 08-05-2019 09:53
Por favor publiquem o meu comentario enviado ontem
Estão a censurar? Haja paciencia
Responder