Pub
Por: Martinho Martins Landim

Martinho Landim

Ilustres convidadas e convidados.

Permitam, antes de mais, em meu nome pessoal e em nome de todos os munícipes de São Domingos, render a mais justa homenagem ao cabo-verdiano por quem todos nós (quer nas ilhas, quer na diáspora) sentimos muito orgulho de o ter democraticamente eleito Presidente da República de Cabo Verde, o Presidente de todos nós, para presidir o nosso destino comum como povo soberano, independente, humilde honesto, trabalhador. Um povo que (de forma, determinada, empenhada e comprometida com o presente e o futuro) vem construindo o Cabo-Verde sonhado pelo grandioso Amílcar Cabral e seguidos pelos líderes políticos nomeadamente Pedro Pires, Carlos Veiga, José Maria Neves e Ulisses Correia e Silva inspirados na legítima aspiração do povo de Cabo-Verde em edificar um Cabo-Verde de felicidade para todos, desígnio esse norteador da política do Governo liderado pelo Ulisses Correia e Silva, Primeiro-Ministro de Cabo-Verde.

O sonho dos caboverdianos tem sido devidamente interpretado, também, por Sua Excelência Presidente da República Dr. Jorge Carlos Fonseca que com sentido de Estado e mestria vem liderando, democraticamente, a concretização dos nossos anseios de construir uma pátria amada para viver em paz, em liberdade, em concórdia e harmonia com a presença constante do pão digno para todos os caboverdianos.

Senhor Presidente da República,

Senhores eleitos,

Senhores membros do Governo,

Senhores convidados,

Minhas Senhoras e meus senhores,

Como nem só do pão vive o homem, permitam-me destacar a presença do Pároco, na pessoa do reverendíssimo Padre Isaías, que tão gentilmente em aceite o nosso convite para compartilhar connosco dias como este, e que sempre está ao lado dos munícipes de São Domingos com Bom Pastor que é!

Com o mesmo entusiasmo felicito e agradeço a presença da nossa Dama de Ferro, nome que lhe chamo com carinho e estima, a Srª. Comandante da Esquadra de S. Domingos, uma combatente incansável em prol da disciplina no nosso Concelho, que tanta admiração e respeito nos merece.

O Município de São Domingos está a comemoração o seu 25.º aniversário, num ano particularmente difícil! Dois anos de secas seguidas com as suas nefastas e indesejáveis consequências! Não há seca em Cabo-Verde que não provoca dificuldades acrescidas, sobretudo para o camponês, lavrador, pastores, juventude, crianças, velhos e novos etc. Aliás os efeitos da seca são sentidos por todos nós!

Mas, como dizia o poeta Ovídeo Martins, a estiagem não nos mete medo por que conhecemos o segredo das coisas. Se fosse hoje teria dito: a estiagem não nos mete medo por que temos um Governo e um Presidente do Povo. Que estão sempre com o Povo. Que lutam para o Povo de Cabo-Verde! Que colocam o Povo em primeiro lugar!

Apesar das dificuldades várias, nós os munícipes de São Domingos, com muita fé e funda esperança em Cristo continuamos a acreditar, a sonhar com um São Domingos da dimensão poética das músicas, das canções dos seus destacados homens e mulheres de cultura, das parábolas dos seus camponeses e lavradores, da resiliência dos seus pastores, das rabidantes e pescadores, das mulheres, dos jóvens e estudantes, das criança e dos idosos!

São Domingos e as suas gentes nunca se deixam vergar, nunca deixam de lutar, nunca, mas nunca perdem a esperança por que somos resistentes e perseverantes e com muita fé em Deus.

Nós os munícipes de São Domingos continuamos a sonhar, a sonhar com um São Domingos da medida dos nossos sonhos! Os nossos sonhos não envelhecem, pelo contrário reflorescem sempre, renascem mais fortes em épocas e momentos difíceis!

Os nossos sonhos são sonhos puros e ingénuos de uma criança que sonha e acredita num futuro melhor para todos os municípios; de um adolescente que faz suas escolhas para construir um outro São Domingos possível; de um jovem que luta contra as contradições e injustiças e dificuldades da vida contemporânea, luta contra o desemprego, luta contra tentações do álcool, luta contra o desânimo. Luta de um jóvem contra o conformismo. Luta de um jóvem para vencer por que é vencedor! Sonho de um adulto que se alimenta de sonhos passados para encontrar sua identidade e o seu São Domingos. Sonho de um idoso que se renova porque os sonhos não envelhecem para o desespero do próprio desespero que nunca pode parar São Domingos de sonhar!

Pois,

Minhas senhoras e meus senhores,

E é assim, com a esperança da criança, a determinação do adolescente, a irreverência do jovem, a confiança de um adulto e a experiência dos idosos que nos apresentamos aqui, uma vez mais, como representantes eleitos desta comunidade, para procurar sustentar o sonho de todos nós, de continuar a construir um São Domingos melhor para se ver, para se viver, para sonhar.

Solidariamente venceremos todas as dificuldades com a colaboração do nosso Governo e do nosso Primei-Ministro! Há muito que soubemos vencer a seca e resistir às dificuldades sob a liderança do MPD, partido sempre maioritário em São Domingos concelho sonhado há muito tempo atrás, finalmente nascido município há 25 anos. Data histórica e memorável que tanto nos honra e nos enobrece a trajectória de São Domingos rumo à concretização dos sonhos!

Acredito que os sonhos, as utopias, mesmo que distantes orientam e fortalecem o nosso caminhar. O nosso caminho é o caminho da esperança e certeza!

Conhecemos hoje os problemas da cidade e de todas as localidades do nosso concelho na convivência diária e permanente com os munícipes. Procuramos encará-los com espírito de otimismo e sentimento de esperança que sempre caracterizaram os nossos munícipes. Não encaramos isso como dificuldades que paralisam, mas pelo contrário, como desafios, como questões que embasarão o nosso projeto.

Estamos solidários com todos aqueles que sofrem as consequências de mais um mau ano agrícola. Apesar das dificuldades e pobreza o Município de São Domingos e o Governo tudo vem fazendo para socorrer aqueles que mais sofrem. Todos compreenderão as dificuldades do país. Temos de acreditar que o Governo liderado pelo Primeiro-Ministro Ulisses Correia e Silva continua procurando solução para o país que herdou EM 2016 com tantos e tantos problemas, tantos e tantos erros do passado.

A comemoração do aniversário, normalmente é momento de alegria e festa, Mas nunca deixa de ser momento de reflexão. De reflexão do nosso ponto de partida, de onde estamos e para onde vamos. Se estamos no caminho certo, se devemos corrigir o percurso com humildade.

Estamos com os munícipes e temos a consciência plena do nosso dever de os servir abnegadamente. O político deve servir o povo, honrando o seu compromisso eleitoralmente assumido.

Acreditamos que estamos a fazê-lo. Acreditamos que estamos no bom caminho.

Tudo faremos para servir os munícipes de São Domingos!

Venceremos as dificuldades existentes com ajuda de Deus e com a chuva que Deus há de nos abençoar este ano.

Creio que, juntos possamos realizar os sonhos de todos nós, pois, os sonhos não envelhecem e com certeza, não morrem.

O aniversário sempre trás à lembrança de muitas coisas e nessas datas acabamos por voltar ao passado e recordando situações e marcos históricos.

Recordo-me de uma das composições do nosso saudoso músico, poeta e compositor Ano Nobo, quando compôs o seguinte:

Sodadi dja dam,

Nhos dexam ta bai

Pa nha bercinho

Ninho di nha cretcheu

Nhordes ca al matam

Sem odja nha mae

Kel luz ki dam bida

Um Santa ki krem tcheu

São Domingos di Meu,

Nha terra pikinina

Bu bençom bem la di Céu,

Cheio de graça Divina.

Vontade ta dam

Pa n’grita ku dor

Toki n’lembra

Na kel nha Lolinha

É nha grande fé

Di volta pa es nha amor

Djunto nhas amigos

Más kes menininhas.

Viva São Domingos,

Viva os munícipes de São Domingos,

Parabéns Município de São Domingos pelo aniversário!

Muito obrigado e bem-haja a todos!



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

-1 # Oport&Unidade 25-03-2019 12:35
Que texto mais sem graça.
Isto não passa de um discurso leve, mole e dezajustado para um jornal lido universalmente. Se ao menos o autor tivesse o cuidado de trabalhar o texto antes de o publicar, fazia algum sentido, apesar do desajustado título.
Portanto, Sr. Landim, da próxima, tenha mais atenção, pois esta prosa tem cheiro a graxa, odor a bajulação e gosto a alguma teta. Estamos de olho.
Responder
-2 # Gaudino José Tavares 19-03-2019 11:30
EXCELENTE!
Responder