Pub
Por: Carlos Cavaco

 carlos cavaco djuba

Hoje apetece-me falar sobre o futuro das ligações marítimas inter-ilhas.

Normalmente o que aconteceu ou acontece em Portugal, acaba por acontecer em Cabo Verde, na verdade a história repete-se.

Quero falar da recente empresa marítima criada em Cabo Verde para assegurar a ligação inter-ilhas de cargas e passageiros. Pois o mesmo aconteceu com a criação da Transinsular, que surgiu na sequência da extinção das empresas públicas CTM e CNN, para assegurar tráfego marítimo com as regiões Autónomas, Açores e Madeira, pelo decreto 336/84. a Transinsular Iniciou actividade em 1985 com 30% de capital do Estado durante alguns anos, até o Estado resolver vender a sua parte aos privados. Foi andando, mas a certa altura teve dificuldades e teve de ser controlada e assumida a gestão, por uma empresa Belga de nome CMB.NV. Em 1999 é adquirida 100% pelo grupo ETE até os dias de hoje.

A ETE é um dos maiores grupos de Portugal com mais 80 anos de actividade e com 40 empresas que actuam em várias áreas dos sectores marítimo-portuário e logístico e cujas funções se complementam entre si.

O estranho de tudo isto é que a Transinsular ETE não tem barcos para fazer ligação entre as Ilhas de Cabo Verde! Neste momento tem 7 navios de longo curso e alguns afretados e 25 navios fluviais do grupo ETE.

Exemplifico a título de semelhança. Os Açores é como Cabo Verde! O que faz a Transinsular? Leva mercadoria para o porto principal dos Açores e a distribuição nas ilhas é feita por armadores locais, entre eles a Mareaçor que faz parte do grupo ETE, assim faz na Colômbia e outras partes.

Resumindo; a Transinsular não tem experiência de transporte de passageiros e nem de cabotagem.

Vai acontecer o seguinte: vai afretar barcos (charter-out e charter-in) para trazer para Cabo Verde, quando podia ser feito directamente pelos armadores Nacionais. Esta brincadeira vai custar muito ao Estado de Cabo Verde ( o bolo é pequeno e todos querem uma fatia)

Por tudo isto considero uma grande Girangonça nos transportes marítimos de Cabo Verde entre Transinsular ETE, Governo e os enganados Armadores nacionais que se alinharam. Até quando esta engenhoca caranguejola.?

A bem de Cabo Verde espero estar errado!? 

Artigo publicado pelo autor Carlos Cavaco na sua página do facebook

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar