Pub
Por: Adalberto Teixeira Varela

adalberto teixeira 

A segurança é um bem precioso que sem ela não é possível realizar as demais necessidades básicas.

Em muitos países e muitas organizações, a problemática da (in)segurança é encarada com muita seriedade, cujos procedimentos adotados são bastante rígidos.

Por exemplo, as Nações Unidas não permitem que os membros de uma delegação viajem juntos num mesmo avião.

Do mesmo modo, a família real britânica, muitos casais e banda famosos também adotam o mesmo procedimento.

Aliás, na Inglaterra é expressamente proibido um herdeiro real estar na mesma aeronave que o outro porque em caso de um possível acidente, a coroa ficaria sem sucessor.

Portanto, o motivo comum dessa precaução é o medo de uma tragédia seja ainda maior.

Recorda-se que várias equipas já perderam quase todo o plantel em queda de aviões, por causa dessa falta de precaução.

Um exemplo mais recente foi a queda do avião que em 2016, transportava a equipa Chapecoense que ia jogar a final da Copa Sul-Americana, em que sobreviveram apenas três jogadores.

Entretanto, aqui em Cabo Verde, essa questão nunca é levada muito a sério ou então é encarrada com muito amadorismo.

Por exemplo, algumas vezes já se deparou com a deslocação no mesmo avião, de todo elenco governamental (incluindo PM), para realização de Conselhos de Ministros em outras ilhas.

Neste caso, e no caso de uma tragédia, seria obrigatoriamente a realização de eleições antecipadas.

O mesmo se verifica com jornadas parlamentares, conselhos de ministério, as nossas equipas de seleção nacional que se deslocam para as ilhas e/ou países no mesmo avião, sem nunca pensarem que uma fatalidade também pode acontecer connosco.

Por essas e outras razões, eu considero que a problemática da (in)segurança não é levada a sério no nosso país.

É basta ver, por exemplo, onde se encontram instalados o Estado Maior das Forças Armadas, a Direção Nacional da Polícia Nacional e os funcionários da FICASE.

Pois, ambos estão instalados em prédios cujos donos já foram condenados por crimes de narcotráfico e dizem que até já houve rumores de ameaças de bombas num desses prédios, por causa da confiscação dos seus bens por parte do estado.

Nós temos sempre a mania de que uma tragédia nunca acontece neste país e que só acontece com os outros.

Porém não podemos esquecer que num mundo globalizado também pode ser POSSÍVEL.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Alcides Joāo da Luz 04-01-2019 15:43
Concordo em absoluto.
Nāo se brinca com a Segurança. Jesus é antes de queda.
Responder
0 # Natalino 04-01-2019 14:22
Excelente exercício de cidadania pparticipativa. Que sua preocupação tenha eco. Abraço!
Responder
0 # Arena crítica 29-12-2018 12:30
Bem dito. De facto, neste país poucas coisas são levadas a sério. Encaramos a maior parte das coisas de forma leviana.
Responder
0 # Augusto Borges 28-12-2018 21:04
Excelente reflexão
Responder