Pub
Por: Graciano Moreno

 Graciano Moreno

Ontem, 19 de Julho de 2018, comemoramos, solenemente, mais um aniversário do Município de São Salvador do Mundo, criado a 19 de Julho de 2005.

Por conseguinte, com muita alegria, cá estamos para dizermos em voz alta que valeu a pena, a criação do Município de São Salvador do Mundo, projeto no qual, muitos altos dirigentes do MpD, dos Picos não acreditaram, na altura.

Assim, sob a égide da Câmara do PAICV, liderado pelo Dr. João Baptista Pereira, com o apoio do governo, deste partido, Picos vai-se construindo paulatinamente, partindo do nada, trilhando o seu caminho, durante 11 anos, em prol de um desenvolvimento sustentado, consubstanciando-se, por exemplo, na construção, de raiz, do seu Paços do Concelho, o seu apetrechamento e dotá-lo de um parque automóvel moderno e invejado por muitos, como é caso da rede de transporte escolar; Construção da Estrada Asfaltada de Achada Leitão, Construção e apetrechamento do Liceu de Achada Leitão; construção do novo Polivalente de Achada Igreja; construção da Praça digital de Achada Igreja e lançamento das bases parta a instalação do atual Centro Multimédia de Achada Igreja; Construção da Barragem de Faveta, modernização do Centro de Saúde dos Picos, Construção de raiz, do Jardim Infantil de Covão Grande; construção de raiz, do Jardim infantil de Achada Igreja/Pico Freire, Construção de raiz, de mais de uma dezena de casas sociais e manutenção de dezenas de outras, em todo o Município; Construção da nova escola de covão Grande; Construção e adoção de água canalizada nas casas de quinhentos famílias de Achada Igreja e Achada Leitão, Equipamento do furo, construção de valas e adopção de água de Boa-entradinha para “Alto Cruz di Pico”, para o abastecimento de Covão Grande, através do Chafariz, Construção da estrada de Curta, em Faveta, atribuição de ajudas financeiras para pagamento de propinas a dezenas de estudantes do ensino Secundário e envio de mais de uma centena deles para Portugal, para continuação dos seus estudos, são de entre outros, os ganhos que São Salvador do Mundo teve e que estão avaliados em largos milhares de contos, de investimentos, isto sem contar com a construção de Unguli Lança Shoping, Centro comercial concebido, no quadro de uma visão estratégica de desenvolvimento do nosso concelho, a médio longo prazo, com todas as valências necessárias, mas que a atual Câmara Municipal, sem nenhuma visão do futuro, despreza-o e considera-o um “bicho de sete cabeças” e demagogicamente faz crer que não serve os interesses de Picos, e que o dinheiro ali investido deveria ser usado na construção de estradas de desencravamento ou então, na construção de casas sociais, quando sabem muito bem, que nenhum Banco Comercial em Cabo Verde iria financiar essas obras, por falta de retorno.

Salvo o devido respeito pela opinião contrária, São Salvador do Mundo tem regredido bastante, nestes últimos dois anos, em vários domínios e não só de obras, conforme já se viu.

Ora, por mais bazófia e arrogância que se tem manifestado, temos uma Câmara Municipal fraca, onde o amadorismo é o pão nosso de cada dia.

Temos uma Câmara nepotista, onde o poder encontra-se concentrado nas mãos de uma única família – a família Vaz, cuja imponência económica/financeira salta, hoje, à vista de todos, em Achada Igreja, causando profundas estranhezas às pessoas.

Uma Câmara Municipal onde as coisas funcionam sem transparência. Uma Câmara que em vez de trabalhar para promover o bem comum, faz precisamente o contrário, aumentando as ajudas de custos chorudos aos seus Vereadores e ao STAF do Presidente ou pagando renda de casa ao seu Presidente, quando este tem uma residência oficial para morar, e não a usa, por capricho próprio, tornando tudo, no mínimo imoral. Pois, a nosso ver, a Lei tem de mudar, por forma que um autarca que tem casa para morar (seja casa própria ou dos seus pais, como é este o caso), e havendo residência oficial, ele não pode receber renda de casa, para o seu bolso.

Temos uma Câmara que em vez de retratar-se, quanto ao seu fraco desempenho, prefere setear os seus trabalhadores, maltratando-os, intimidando-os, só porque estes não são da sua laia política, pondo muitas vezes em causa a liberdade de pensamento e de expressão, consagrados na Constituição da República de Cabo Verde.

Aliás, viver em conflito com a Lei, é o apanágio desta Câmara Municipal, que tem sido frequentemente intimado para comparecer nos tribunais não só com os seus trabalhadores, por razões atrás apontadas, mas também com muitos dos seus fornecedores, por incumprimento, na liquidação das dívidas existentes, comportamentos esses que não dignifica a Câmara Municipal enquanto Instituição de todos os Munícipes e que por princípio, deve ser pessoa de bem.

Mas também quando se fala do conflito com a Lei, sublinhamos o caso da nossa Assembleia Municipal, que nos termos da Lei deve reunir-se pelos menos três vezes por ano para aprovar e apreciar os instrumentos de trabalho da Câmara Municipal, ela tem reunido apenas duas vezes, deixando cair por terra, o seu papel de fiscalizador e tornando-se muitas vezes num verdadeiro cúmplice dos erros da Câmara Municipal e do seu Presidente, como é o caso da alienação oculta por parte da Câmara, da viatura de marca TOYOTA HILUX, 4X4, de matrícula 69 – JL, que vinha sendo afetado à Assembleia Municipal.        

São Salvador do Mundo, apesar dos ganhos conseguidos, nestes últimos anos, ele continua a ser hoje, um município pobre e segundo os dados do INE, de 2016, temos uma população de 8642 pessoas, sendo que metade é considerada pobre (49,7%), e grande parte dela encontra-se em empregos precários. Muitos estão no desemprego, sendo a maior fasquia, 24%, encontram-se na camada jovem. 37% da população não tem, ainda, acesso às casas de banho, 62% não tem acesso à água potável e 78% da população recorrem à lenha, para cozer os alimentos e apenas 5.5% da população têm o curso superior.

Isto tudo para mostrarmos que perante a atual situação, a Câmara Municipal tem muito trabalho pela frente e tem de deixar o SHOW OFF e deve trabalhar para o bem-estar de todos, fins para os quais, afinal, os seus atores foram eleitos. Pois, os 78% do Orçamento executado, no ano anterior, revelam-se claramente abaixo do esperado, contrariando até, as afirmações do próprio Presidente da Câmara, em Dezembro último, numa entrevista a um jornal da praça, que dizia ter já cumprido, naquela altura, cento e tal porcento do plano de actividades.

No domínio da reabilitação de estradas Municipais, das muitas que existem, em dois anos, quase todas continuam ainda por fazer, com exceção do caso de Covão Grande, sendo certo que a estrada de Picos Acima tem contado com a intervenção direta do Governo, o que aplaudimos, mas que devem ser separados, por razões óbvias e orçamentais.

Porém, não obstante as suas carências, quando se fala da habitação social, em São Salvador do Mundo, a situação é preocupante, porquanto, em dois anos, a Câmara Municipal Construiu apenas duas casas, de raiz, sendo 1 em Achada Igreja e outra em Jalalo Ramos, contrariando tudo o que disseram na campanha eleitoral.

Todos sabemos que atravessamos um ano de seca severa e neste quadro, o governo criou um programa de mitigação dos efeitos da seca, mas que em São Salvador do Mundo, a sua implementação revelou-se num autentico fracasso, já que não se produziu mais água potável e apenas se desentupiu 3 poços em Mato forte e o abastecimento de água potável, no nosso concelho, tem sido gritante. As distribuições de “vales cheques”, de trezentos escudos, para os criadores de gado funcionaram mal, já que na maioria das vezes, as pessoas não iam tomar os cheques ou quando sim, engavetavam-nos em casa, por falta de dinheiro para completar o custo de um saco de ração, que era três vezes mais caro, no mercado de Santa Catarina. Sem o custo de transportes, e quando não haviam outras soluções, vendiam os seus animais, ou matavam-nos e vendiam as suas carnes a baixos preços nos mercados locais. Ainda, no âmbito deste programa de mitigação da seca, em São Salvador do Mundo, a Câmara Municipal empregou de forma sazonal, apenas 159 pessoas, (in Relatório de Atividades da CMSSM-2017) representando somente 1.8% da população de Picos, o que revela francamente aquém das necessidades existentes e pior, ainda é que essas pessoas além de receberem um triste 350$00/dia, em salário, demoravam dois meses sem receber, e quando o fizerem, pagavam 1 mês e ficava outro, originando conflitos com os trabalhadores como aconteceu há dias, na sede da Camara Municipal, em Achada Igreja, em que os dirigentes agiram sem respeito pelo drama das pessoas que euforicamente ali se deslocaram para irem receber, mas regressaram às suas casas, sem a totalidade dos seus salário, o que de facto foi lamentável.

Por tudo isso, Caros Munícipes, São Salvador do Mundo merece uma Postura e uma atitude diferentes dos seus governantes locais. Uma Postura e uma atitude mais empreendedoras, que pautam e que primam pela defesa dos interesses de todos, vendo para todos os lados, para que nenhum “Fidju di Piku” fique de fora.

Manuel Graciano Moreno

(Eleito Municipal-PAICV)



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Torres 23-07-2018 11:09
O seu artigo reflete o que efectivamente está a passar em Cabo Verde e no Município de São Salvador do Mundo em particular. Tanto é que há uma leitura dessonante, entre o que reflete a realidade e o que os governantes estão a tentar passar. No caso particular de São Salvador do Mundo, Os Municípes devem fazer uma leitura atenta, acompanhar as ações governativas e as as atitudes dos governantes para que possam no momento, analisar de forma consciente a governação anterior e a atual.
A defesa dos interesses da população deve estar acima dos interesses pessoas, quando se verefica o contrário, na devida altura o povo fará o jus.
Opaís precisa de pessoas comprometidas e engajadas com o desenvolvimento de longo prazo. Parabéns pelo artigo, e que seja dessiminado no seio da população e não só.
Responder
0 # Jose lopes 21-07-2018 08:46
O exercício da actividade política deve ser feita sempre como um missão de servir, todos e sem nenhuma discriminação. São Salvador do mundo precisa sim de líderes mais engajados, comprometidos e mais empreendedores. Parabéns Graciano pela bravura e um interesse incansável pela causa dos Picos
Responder