Pub
Por: Seidy de Pina

IMG 20180619 204604 484

No dia 1 de Janeiro de 1994, entrara em vigor, a lei que cria o município de São Domingos, cujos propósitos teoricamente ainda são estes:

I- Concretizar o princípio da descentralização dos poderes e serviços previsto na Constituição da República de Cabo Verde de 1992;

II- Garantir o bem estar aos munícipes;

III- Criar e implementar políticas públicas destinadas ao Desenvolvimento de São Domingos.

Todavia, hoje volvidos mais de duas décadas da criação deste município, notamos de forma inequívoca o retorno e a estagnação das questões essenciais para os munícipes, mas que não emergiram por de falta de recursos humanos e financeiros, mas sim pelas políticas desacertadas, falta de vontade política e interesses dos dirigentes do MPD que fizeram da CMSD uma vaga leiteira mesmo nos tempos da seca.

Pergunto que município é esse que coloca os chefes das famílias no trabalho de arruamento da localidade de Vale da Custa e passados dois anos, os trabalhadores não receberem ainda um tostão pelo trabalho e como se não bastasse deslocam-se semanalmente para CMSD no sentido de receber os seus salários e nunca são recebidos pelos responsáveis, sabendo que trabalharam debaixo do sol ardente todos os dias, no sentido de obterem um rendimento para sustentar as suas famílias.

Ao passo que o Sr Presidente da câmara, os Senhores vereadores e o secretário municipal, no conforto dos seus gabinetes, debaixo de ar condicionado recebem mensalmente de forma religiosa;

Aqui devemos perguntar porquê que a Câmara não paga os trabalhadores há mais de dois anos? Será por falta de dinheiro ou por desrespeito grave com os munícipes? Mas penso que não é por falta de dinheiro, tendo em conta que, nestes dois anos já foram realizadas dois festivais em Praia Baixo, onde ficou patente o desperdício de milhares de contos.

Ainda nesta senda, de “caloteirice”, sabiam que a Câmara Municipal de São Domingos teve a audácia de, no âmbito de programa de mitigação da seca, colocaram as pessoas nas frentes do trabalho e estas não recebem há mais de três meses e só são pagas aquelas que nas suas localidades se avizinham alguma festa, como se não bastasse ainda, recentemente a CMSD praticamente obrigaram as pessoas a assinaram a folha de pagamento, que justifique o ato de pagamento com fundamento de que seriam pagas brevemente, entretanto até presente data, estas não foram pagas um tostão furado, sabendo que já lá vão mais de um mês que aquelas pessoas assinaram a folha de pagamento.

Pergunto novamente, que município é esse, que sequer consegue negociar uma dívida de 50 mil escudos. Que município é esse? que não consegue finalizar uma obra iniciada há mais de quatro anos, O exemplo claro disso é o campo de nora, cujos indícios de corrupção estão tão claros como as relvas que sobraram de um misterioso roubo!

Que município é esse que não consegue realizar plenamente um torneio de futebol, pois no âmbito das festividades do município foi realizada um torneio, no mês de Março, entretanto não se realizou o jogo final, porque não havia troféus para os jogadores.

Que município é esse que não consegue garantir para os munícipes de Freguesia de Nossa Senhora da Luz, água potável, pois os reservatórios municipais de abastecimento de água não são higienizados há vários anos, colocando assim em Causa a saúde pública.

Que município é esse onde a Assembleia Municipal é um órgão meramente figurativo, pois os titulares da mesa deste órgão estão em conluio com a câmara municipal.

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # José Miguel 17-07-2018 21:37
Seidy, bu sta djobi protagonismo à força.
Bu naci muto ontonti li i bu ka tem ideia di cuzé k bu bu sta papia.
Canto hm ofja título hm fi a txeu curioso mas texto deixa muito a desejar. Da proxima fazi TPC midjor.
Bai câmara i na purguna antis di bla bla bla txeu.
Responder
+2 # Seidy de Pina 18-07-2018 00:56
Caro José Miguel, idade aqui é irrelevante, pois não é fato de eu ter nascido ontem ou ontem que não posso denunciar aquilo que considero ser lastimável. Veja que você em vez de rebater com argumentos fortes, por exemplo porquê que não tiveste a audácia de desmentir tudo aquilo que eu disse? Sabe porquê? Porque é verdade e para falar verdade não é preciso ter idade, basta coragem.
Responder
+2 # Fidju são domingos 17-07-2018 21:10
Ainda sem falar dos guardas da lixeira que há mais de 1 ano não teve os seus salários, uma vergonha...
Responder
+2 # CLAUDIO MENDONÇA 17-07-2018 20:36
Que Município é este que nem ata nem desata.
São vinte e.....anos de miséria, de injúria de falta de visão, de flata de transparência, de falta de investimento..... Falta de tudo.
Municpio a menos de 12 Km da Capital de Cabo Verde, 12 Km do maior Município de Cabo Verde, 12 Km de Centro de todos os acontecimentos não consegue catapolga as valências de boa localização e nem consegue copiar a Praia e Nem cobiçar.
Forte Kusa Galante e Difícil de entendi..... Paxenxa
Responder
+3 # Ana Gomes Miranda 17-07-2018 12:50
Parabéns, Seidy. Muito bem visto. A Câmara Municipal de São Domingos é um grande fracasso! Coitado das gentes de São Domingos!
Responder
+1 # chefes 17-07-2018 11:10
(...) Seidy, gostei mais do blaser, do que artigo.
Responder