Pub
Por: José Gabriel Mariano

JGMariano

Um pequeno apanhado de algumas realidades lusíadas em África. Todos falam, todos querem...mas fica o mas suspendido ou em suspenso? A propósito do apoio dado pelos países da CPLP, que de facto funciona como um clube privado, à Guiné Equatorial e a detenção do vice-presidente do país, no passado fim-de-semana, às portas do Brasil, Teodoro Obiang Mangue, carregado com malas de dinheiro e joias milionárias.

Será que merecem perdão e compreensão nossa? Compreende-se o apetite voraz de alguns governantes de Cabo Verde, de São Tomé e da Guiné-Bissau pela Guiné Equatorial, depois de saber da existência de inúmeras offshore, a condenação criminal em França e agora a detenção no Brasil, por traficar joias. Além de outras situações passadas. Condenado em frança por corrupção e lavagem de dinheiro, tendo inquéritos a correr na justiça dos EUA, na Suíça e, entre mais, em Espanha… Seria um enorme rol… E é assim com pessoas deste calibre que os governantes de Cabo Verde e de São Tomé gostam de se rodear, conviver e realizar contratos e negócios, com o claro beneplácito / assentimento de Portugal, Angola, Brasil e restantes países daquela organização que nos impõe – a todos os povos da nossa emisferianidade e que partilham um espírito genuíno e comum - um autêntico retrocesso civilizacional. Vamos ver até quando é que esses governantes vão continuar a achar que lidam com gente séria e honesta, em vez de acharem que lidam com MÁFIA... Africana! Agora senhores governantes querem a livre circulação na CPLP? Para negociarem joias e divisas pela porta do cavalo e corrompendo os funcionários das finanças e dos serviços de fronteiras dos países integrantes daquela organização privada, começando nos terrenos de Obiang? Para sociedades comerciais e empresas registadas offshore? Para a proliferação de sociedades fantasma, invisíveis? Corrupção e subornos? É isso que vossas excelências querem, senhores governantes? Perguntar não ofende, mas indicia suspeitas e muitas dúvidas. Querem livre circular na Europa? Querem libertinagem para negociarem o que bem entenderem e como entenderem... As malhas estão rotas! Completamente permissivas, por ambas bandas do Atlântico... Portugal e Brasil alvos preferenciais...Cabo Verde, São Tome e Guiné-Bissau são instrumentos para introdução camuflada dos interesses obscuros de Obiang...É essa a realidade que querem impor à Europa e à CPLP...integrar bandos mafiosos? E as promessas feitas a mafioso são para se cumprirem, caso contrário fortes e agressivas penalizações podem advir...a quem prometeu e colaterais...

Com esse curriculum e cadastro é complicado haver livre circulação entre os países da CPLP, comprometendo-se ao máximo eventual livre circulação na União Europeia. Será que diplomacia enfeitada e cheia de cosmética, com festas, festivais, conferências, cimeiras chega? Já não se percebeu que há branqueamento de capitais, tráfico de divisas e valores? Pelo menos, além crianças, mulheres, direitos da comunicação social, de livre expressão, etc....e mais etc.......Apetece dizer, para além de outros visados: SENHORES GOVERNANTES DE CABO VERDE e de SÃO TOMÉ TENHAM PIEDADE DAS PESSOAS que já deixámos de ser PARVAS há 2 SEMANAS. Já não nos enganam mais! As malhas estão rotas. Demasiado permissivas, por ambas bandas do Atlântico... VERDADEIRO RETROCESSO CIVILIZACIONAL...vergonha nacional...Vergonha para os povos que são coagidos a aceitar situações ignominiosas, vexatórias em prol do politicamente correto e das fotos em FAMÍLIA! E quer Portugal estar na Europa como país democrático, livre e civilizado? O que dirão os parceiros e os povos europeus, ou mesmo o povo português e o brasileiro que vivem na absoluta ignorância sobre a realidade equato-guineense, com a delicada e pertinente contribuição da comunicação social? Quando e em que parte deste mundo um vice-presidente de um país - que não é Estado diga-se (grupo mafioso que encantou alguns governantes portugueses, cabverdianos, são tomenses e outros um pouco menos) - é apanhado na fronteira de um país por pretender traficar divisas, joias e valores e todos se calam? Se fosse o vice de Angola ou do Brasil? Ou de Portugal ou de França. Ficariam caladinhos? A VERGONHA É MUITA, não é? A Polícia Federal brasileira apreendeu mais de um milhão de euros, milhões de dólares norte-americanos em dinheiro vivo, objetos de luxo em espécie, milhares de reais e relógios avaliados em mais de treze milhões de euros, correndo o inquérito em sigilo diplomático via Itamaraty. Talvez pensemos em mudar de nacionalidade ou pedir o estatuto de apátrida...com os tempos que correm sem valores e sem querer lutar e trabalhar por eles, mais vale seguir um caminho solitário sem estar identificado com Estados, países? Ou meter-mo-nos por túneis pelo subsolo adentro e ficar por lá? Mas até lá recomendo o VOTO EM BRANCO em quaisquer eleições realizadas por este mundo fora em língua portuguesa. Os partidos políticos enquanto não tomarem posição efetiva, esclarecendo as gentes e esclarecendo a eles próprios, não merecem o voto das pessoas e dos povos. Branco é o voto que o descontente põe na “botadeira”.

ESPOLETANDO COGUMELOS

 

Fios vão desfiando

Eles vão volteando

Num desenrolo enrolado

De jeito a carrocel

Surgindo cada por seu lado

Mais abaixo, mais acima

Flutuam de uma margem

Mareando em voo aglutinado à outra

Saltam como cogumelos infecciosos surgidos

De espoletas carregadas ungidos

Endiabradas atividades assolam

Irregulares

Imoralidades para as revoltosas ondas atlânticas

Que suas margens enfurecidas mais não toleram

II

Ao exemplo que devia ser

São a vergonha dos povos

Coagido escoar das águas canalizadas

O mau cheiro concentra-se na putrificação dos elementos

No afunilamento da gangrena

Por falta de vazamento da sua toxidez

Dos canais saibrosos emaranhados em nodosidades

Raphael d’Andrade, 18/09/018



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Alberto Salazar da S 19-09-2018 10:16
Não compreendo tanta ira conta os dirigentes do CPLP. Acham que continuam colónias e, portanto só executar o que Portugal decidir?
Se o Teodoro Obiang infringir a lei que seja enquadrado pela justiça brasileira e não vão ouvir dos governantes de Cabo Verde que são contra isso. Há mais corruptos que em Portugal? Não têm um ex-primeiro ministro com problemas com a justiça por causa da corrupção? Não há milhares como ele à solta? Acabou o colonialismo.
Responder