Pub

 Olavo Correia 16 11 19

O vice-primeiro-ministro disse esta sexta-feira que Cabo Verde é um país com “falta de emprego, mas repleto de oportunidades em diversos sectores das actividades económicas”, acrescentando que os jovens têm que andar à procura das oportunidades.

Olavo Correia fez estas considerações em declarações à Inforpress, na Cidade da Praia, à margem da academia “O futuro do trabalho e os empregos do futuro”, promovida pelo Governo de Cabo Verde no quadro do programa de Apoio ao Emprego, Empregabilidade e Inserção- Jov@Emprego, na qual participou no painel ““A voz aos jovens””.

“Toda a política do Governo está virada para a juventude. Portanto, a juventude é parte interessada e activa, mas, sobretudo, o objecto final da nossa intervenção”, declarou o governante, reforçando que é a pretensão do executivo ter jovens qualificados, “bem formados” e com atitudes e condições para empreender.

Olavo Correia, que é também ministra das Finanças, adiantou, por outro lado, que ambicionam, também, uma juventude que produz, inova e exporta os seus produtos e com condições para competir à escala regional e mundial.

No seu entender, com talentos, e se os jovens tiverem “todas as condições”, vai se conseguir acelerar o crescimento económico do país.

“Estamos a trabalhar para melhorar os ecossistemas para darmos aos nossos talentos os instrumentos de que precisam para colocar a sua capacidade ao serviço de Cabo Verde”, garantiu.

No entanto, ressalvou que dado ao contexto de um mundo global, os jovens têm “oportunidades enormíssimos” no turismo, desporto, cultura, artesanato, indústrias criativas, entre outros sectores da actividade económica”.

“É a nossa obrigação trabalhar para que possamos acelerar essa dinâmica de criação e inovação de produção, para que os jovens possam estar em Cabo Verde, mas saberem estar no mundo”, reconheceu.

Instado a comentar sobre o facto de muitos jovens terminarem a licenciatura e sair do país, Olavo Correia respondeu nesses termos: “Os jovens podem emigrar. Penso que não é um problema maior, o que importa é nós criarmos oportunidades em Cabo Verde para que os jovens possam ficar aqui e trabalhar para o país e para o mundo inteiro”.

Conforme adiantou, é preciso criar condições para que a diáspora cabo-verdiana possa estar interligada com o país e continuar a prestar serviços para a Nação nos sectores como a saúde, transporte, tecnologias e educação.

“Temos que olhar Cabo Verde como um país verdadeiramente diaspórico, em que o país não é apenas o território, mas sim todos os cabo-verdianos espalhados pelo mundo”, demonstrou.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Raúl Seixas 18-11-2019 08:08
NÃO SEI O QUE É QUE ESSE CARA OLAVO ANDA A CHEIRAR POR AÍ…
A PIOR DEMOCRACIA É AQUELA QUE TEM UMA OPOSIÇÃO DE FAXADA.
PORRA, PÁ!
Responder
+4 # SÓCRATES DE SANTIAGO 17-11-2019 10:58
Como sempre, AS CONVERSINHAS OLAVIANAS PARA FAZER O BOI E A VACA DORMIREM. O nosso vice, Senhor Olavo Correia, é o MAIOR BENDIDOR DI LORU FEDI deste fraco governo do MPD.
Responder
+4 # Rivoltado 17-11-2019 09:46
Paciencia sr vice primero e ministro das Finanças, quase ainda no final mandato ainda o sr näo compreendeu e nem vai compreender. Triste ter que ler tanta baboseira do sr. O sr e seu governo falharam por completamente... e com este artigo o sr acabou de ferir, como se fosse uma punhalada nas costa dos que sobrevivem no dias[censurado]. O sr boa nao é digno dos cargos que desempenha!
Responder
+3 # Investigador 16-11-2019 23:56
Como? Faz uma pergunta ao ministério da educação e veja quantas cartas de pedidos de apoios para publicações internacionais, tiveram um parecer menos favorável, uma forma política de dizer, que foram negadas!? Porque, não existe verba para tal... Muitos jovens emigram porque são humilhados e ignorados... Muitos, com ideias brilhantes e uma capacidade de investigação, ao mesmo nivel dos outros países... Contudo aqui não é suportado nenhuma investigação e apoios são negados de forma inusitadas e estranhas... Há que se criar melhores condições... Vejamos por exemplo o custo de algumas licenças e alvarás... Custam o olho da cara, e uma burocracia jamais vista... Tudo isto poderia estar facilitado para depois o Sr. vice primeiro ministro e ministro das finanças, vier com discursos de erva doce. Há que ter uma visão mais a fundo... Conversa com jovens empresários, conhecer as dificuldades e entraves no nosso mercado!
Responder
+4 # Pepino 16-11-2019 22:14
Isso que faltava... So poderia ser um Ministro como este do MPD. Que vergonha!
Responder