Pub

mario chaves

Cabo Verde vai pagar à Icelandair um milhão de euros por um ano de gestão da TACV Internacional. Nova administração, liderada pelo português Mário Chaves, assume funções a partir de segunda-feira.

Uma nova equipa gestora, nomeada pela Icelandair, vai assumir o Conselho de Administração da TACV, que muda de configuração, ficando, por exemplo, José Luis Sá Nogueira como PCA, mas sem função executiva - o administrador Mário Socorro estará fora da nova equipa gestora, o que poderá explicar a sua ausência da cerimónia - enquanto Armindo Sousa deverá se manter como administrador executivo.

A transportadora de bandeira nacional passa agora a ser liderada pelo português Mário Chaves, antigo piloto da TAP e que há um ano foi contratado pela Icelandair para integrar a vice-presidência de Operações de Voo.

Chaves vai ser o presidente da Comissão Executiva (CEO) da TACV, devendo para o efeito contar com o apoio de uma equipa de executivos da Icelandair, que vão assumir a gestão da operadora cabo-verdiana a partir de segunda-feira.

icelandair team

Vice-presidente da Icelandair e Mário Chaves, o novo CEO da TACV (foto Chefia do Governo)

 

Antigo comandante de um Airbus A320 da TAP, Mário Chaves iniciou a carreira na aviação civil em 1999. Foi Gestor das Operações de Voo e Instrutor de Airbus A320 na TAP até 2013, ano em que muda para a IATA (International Air Transport Association), onde trabalha três anos. Daqui, sai para a Icelandair em Outubro de 2016, para desempenhar as funções de vice-presidente de Operações da Icelandair.

O português é a escolha da Icelandair para liderar os destinos da TACV durante os próximos 12 meses, conforme reza o contrato de gestão assinado esta quinta-feira entre o Governo, a TACV e a Loftleidir Icekandic, subsidiária da Icelandair. Para este negócio, Cabo Verde vai pagar à operadora islandesa cerca de um milhão de euros (925 mil euros) por um ano de gestão da companhia aérea cabo-verdiana.

Na verdade, o Estado, segundo disse o ministro José Gonçalves após a assinatura do contrato de gestão, já avançou com 100 mil euros para o primeiro mês e durante meses seguintes serão 75 mil euros mensalmente.

Ao todo o Estado vai desembolsar um milhão de euros para pagar este contrato de gestão à Icelandair. “Entramos com 100 mil euros para o primeiro mês e depois são 75 mil euros/mês”, explicou José Gonçalves no final da cerimónia de assinatura de contrato. Ou seja, por um ano de contrato a Icelandair vai receber 925 mil euros.

Qual o plano de trabalho? “Neste momento estamos mais concentrados nos fluxos e menos nas rotas”, disse à imprensa o novo CEO da TACV, Mário Chaves, acrescentando que o estudo e implementação das novas rotas é “um processo que está agora a ser iniciado”.

O gestor explicou ainda que o modelo que a Icelandair quer implementar em Cabo Verde “é um modelo de expansão”, pelo que diz-se convicto que “no futuro o modelo dará oportunidade ao crescimento de emprego e não o contrário”. O administrador-delegado da Icelandair disse também que a Icelandair vai ajudar o Governo cabo-verdiano a procurar uma solução para a dívida da TACV, que ascende a 100 milhões de euros.

A assinatura do acordo de gestão da TACV Internacional foi presenciada por diversas personalidades da sociedade cabo-verdiana, entre elas o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que considerou que a Icelandair é o "melhor parceiro" para um "negócio credível".

Note-se que a gestão e posterior alienação do negócio internacional da TACV continua sobre a mesa, como parte da reestruturação da TACV. A primeira fase foi a saída da TACV dos voos domésticos cedendo o mercado nacional da aviação em exclusivo à Binter Cabo Verde, em cujo capital o Estado cabo-verdiano entrará com 49%.

 

Comentários  

0 # Preto Praia 10-09-2017 13:59
Todos conhecem qual a "doença" dos TACV e restantes empresas públicas nacionais, mais do que diagnosticadas! não existem paliativos para cancros! esses 2 gestores são, nada mais, nada menos, do que +02, que vão afundar ainda mais a empresa ! costuma-se dizerem criolo de Santiago, que "pa doença di tera e ramedi di tera"! pamodi ka ta tchomadu Alfredu Carvalhu pa ba fazi TACV ramedi, já ki el mas di ki ninguem e konche kel ki e verdadera doença di es empresa ? e e tem kes mesmus 02 chefões di anus 90 na kumandu ! tudu restu e so troça pa fezi criolo divirti !
Responder
+2 # Orlando Sancnches 13-08-2017 00:31
Faço votos de sucessos à nova equipa de gestão da TACV. Espero que o Dr. Chaves traga as chaves de sucessos para a nossa Companhia Aérea para que os voos não sejam cancelados em cima da hora ou atrasados sem uma razão plausível. Se isso acontecer justifica um milhão de euros que nós os "boiadas" pagamos e que ele fecha à Chaves na sua conta bancária pessoal.
Responder
+1 # Sonhador 16-08-2017 08:36
Arik De era um gestor inovador, mas foi boicotado dentro dos TACV...
Que Chaves tenha sucesso na sua gestão, mas vai precisar muito mais do que ter as chaves para a solução, vai precisar que todos nos TACV dêem a sua colaboração!
Responder