Pub

José da Silva Gonçalves1

O Governo espera que “o grosso dos investimentos” nos aeroportos em 2019 provirão de parcerias publico-privadas, disse o ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves.

José Gonçalves respondia ontem, 6, a um questionamento do deputado do PAICV, José Maria Veiga, durante a audição na Comissão Especializada de Economia, Ambiente e Ordenamento do Território, que se reuniu para analisar o Orçamento de Estado(OE) de 2019 a ser votado em especialidade neste mês de Dezembro.

Segundo o governante, o OE não prevê grandes investimentos na plataforma aérea porque o Executivo “está a contar criar condições” para permitir que o privado resolva o problema dos aeroportos.

“A Empresa Nacional de Aeroportos e Segurança Aérea (ASA) faz os investimentos a nível das estruturas, mas estamos a contar já para 2019 ter o estudo, que está em curso neste momento, de valoração de negócio com vista à uma concessão privada para a exploração dos aeroportos”, reagiu Gonçalves, para quem a parceria público-privada é que realmente vai ser o grosso do investimento e melhoria dos aeroportos em Cabo Verde.

O governante destacou, igualmente, que estão inscritas no Orçamento de Estado 2019 verbas para a construção do porto do Maio, a iluminação das pistas dos aeroportos de São Nicolau, Boa Vista e Fogo, uma pequena verba para a montagem da Zona Económica Especial para a Economia Marítima, um pacote para a 1ª fase do Terminal de Cruzeiros e investimentos na Empresa Nacional de Administração Nacional dos Portos(Enapor).

José Gonçalves também garantiu que em 2019, a ASA tem no seu plano a aquisição de um Sistema de Aterragem por Instrumentos (ILS – Instrument Landing System) para o aeroporto de São Vicente, visto que o Sistema Global de Navegação por Satélite (GNSS), que foi colocado, “não se mostrou uma solução adequada”.

A mesma fonte lembrou ainda que as operações aéreas e os mínimos de segurança são certificados, mas cada companhia aérea opera de acordo com os seus próprios mínimos.

“A TAP (Transportes Aéreos Portugueses) utiliza uma margem de rigor muito maior de quase três mil metros para aterrar, a Icelandair, nas mesmas, condições aterra com dois mil metros”, exemplificou.

O ILS funciona em sinais de rádios que são recebidos, processados e apresentados nos instrumentos de bordo. Mas para além do tempo, exige e investimentos avultados como a aquisição dos equipamentos e formação dos pilotos.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # C.Ferreira 07-12-2018 10:47
Se calhar será necessário outros investimentos que juntamente com a iluminação das pistas dos aeroportos do Fogo, Boavista e Saninclau permitirão operações noturnas.
O ILS para São Vicente, exige formação para pilotos!!!!! Essa eu gostei kkkkkkkkkk.
Responder
+2 # SÓCRATES DE SANTIAGO 07-12-2018 10:42
Senhor Ministro José Gonçalves, pelo relato feito por V.Exa., vê- se que a Cidade da Praia e Santiago ficaram fora do orçamento do seu Ministério. Pergunto- lhe para quando as obras da ampliação da PISTA DO AEROPORTO DA PRAIA, as obras da CONCLUSÃO DA SEGUNDA FASE DA EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO PORTO DA PRAIA, o TERMINAL DE CRUZEIROS DA PRAIA, a CONSTRUÇÃO DO NOVO CAIS DE PESCA DA PRAIA, a CONSTRUÇÃO DO CAIS DA PESCA E DE RECREIO NO TARRAFAL DE SANTIAGO, CALHETA E RIBEIRA DA BARCA e a CONSTRUÇÃO DO PORTO DE ÁGUAS PROFUNDAS NA CIDADE DE PERDRA BADEJO. O senhor Ministro está a ver só para o Norte, até já deu um pequeno mergulho ali na Laginha para ver alguns peixinhos e corais. Já é altura de voltar para o Sul e materializar os grandes projectos estruturantes para as ilhas do Sul, sobretudo, para SANTIAGO E PRAIA. E Olhe que a sua BRAVA ainda não tem um porto em condições e nem aeroporto. Cumprimentos do Sul e de Santiago.
Responder