Pub

 

“Desafios e Oportunidades a Curto, Médio e Longo Prazo da aviação Civil em Cabo Verde” é tema de um debate que decorre na ilha do Sal desde a manhã de hoje. O encontro, promovido pelo Governo, reúne stackholders do sector de várias partes do mundo.

O Ministro do Turismo e Transportes e Ministro da Economia Marítima, José Gonçalves, preside esta reunião ao mais alto nível que tem como enfoque principal o desenvolvimento do sector da aviação civil cabo-verdiana e a implementação do Hub Aéreo na ilha do Sal.

Propõe-se com este encontro uma análise aprofundada sobre os desafios e oportunidades de cada parte essencial do Hub Aéreo de modo a identificar as lacunas e apontar medidas para acções prioritárias, de modo a operacionalizar de forma eficaz e célere a implementação do Hub Aéreo na ilha do Sal.

Neste encontro de uma semana vários painéis vão estar em discussão: “Política estratégica e legislação no sector”; “Estabelecimento do Hub Aéreo no Sal - Cabo Verde Airlines/ Binter CV”; “Infraestruturas e processamentos de passageiros no Hub - ASA/PN Fronteira” e “Regulação na operacionalização do Hub Aéreo - AAC”.

Também estarão na mesa de debate a “Adesão ao mercado único africano dos transportes aéreos”; “Desafios de regulação para cumprimentos com normas internacionais”; “O papel do Handling e introdução de maior eficiência nos serviços” e “Complementaridades da Cabo Verde Airlines e Binter CV no Hub Aéreo”.

Espera-se que com este encontro os especialistas tenham noções claras do contexto actual, dos desafios e das oportunidades do sector, e apresentem propostas concretas e políticas sustentáveis a serem desenvolvidas pelo Governo e pelas empresas em articulação com todos os protagonistas.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # #Santiaguense 21-02-2018 18:41
Com entrada em função do actual Presidente dos USA, Trump, apareceu no vocabulário politico a palavra "Fake News" (notícias falsas)
Esta doença também chegou agora a Cabo Verde.
Vejamos: O ministro do Turismo e Transportes. JG, disse nesta semana que o inicio da operação Hub Aéreo no Sal, ultrapassou as expectativas. Pergunto, baseado em que dados este governante faz esta afirmação. Diz-se por ai que novos voos lançados estão sendo cancelados uns atrás de outros, por falta de tráfego. A ocupação dos voos diários Sal/Lisboa/Sal tem sido muito inferior do que quando era Praia/Lisboa/Praia.
Há cerca de duas semanas este mesmo ministro JG havia dito que a TACV passou a operar 3 aviões Boeing 757. Fake news. Até hoje a companhia continua a operar só com 2 aviões, tal como começou em Novembro de 2017.
Ontem na TCV o mesmo ministro disse que está apreensivo que até fim deste ano a TACV estará com falta de pilotos. Porém até hoje a nova TACV não tem a voar sequer um piloto dos quarenta e tal que tem no seu quadro, auferindo salários sem voar sequer um minuto.
Para finalizar, fale verdade aos Cabo-verdianos Sr. ministro JG. Diga que estão desmantelando a TACV esta sim ultrapassando as expectativas e ao mesmo tempo o Estado de Cabo Verde está injectando mensalmente na TACV cerca de 3 milhões de dólares, qualquer coisa como duzentos e setenta mil contos,CVE, para custear esta experiência com a Icelandair. Nesta experiência ganha só um player (Icelandair). O outro a TACV e o Estado de Cabo Verde só bancam com os custos, porque proventos pela venda de bilhetes, estes agora foram para BINTER, TAP, SATA, etc.
É isto que se chama "meu partido é Cabo Verde"?
Responder