Pub

karate I jogos de praia

A selecção masculina de katá de Cabo Verde ficou eliminada das meias-finais dos I Jogos Africanos de Praia, cuja prova foi realizada hoje, de manhã, no areal de Santa Maria.

Constituída pelos karatecas Mauro Soares, José Gonçalves e Leonardo, a equipa nacional masculina da modalidade encontrou pela frente uma forte resistência dos atletas adversários, facto reflectido nas pontuações finais que foram inferiores aos restantes competidores.

Resta agora a Cabo Verde aguardar pelo resultado da equipa nacional feminina composta pelas atletas Danisia Conceição, Silviane Mendes e Sóphia Évora, atletas que entram esta tarde em competição.

A prova, de acordo com a organização é disputada nas disciplinas de katá individual em masculino e feminino e conta com o concurso de representantes de 11 países.

A primeira fase é disputada no sistema de eliminatórias durante esta manhã, estando o período da tarde reservado às provas da final.

O seleccionador de Cabo Verde, Dionísio Conceição, acredita nas potencialidades das atletas, ciente que terão pela afrente adversários de peso.

Os I Jogos Africanos de Praia estão projectados como o maior acontecimento desportivo de sempre realizado em Cabo Verde que, na qualidade de país anfitrião, vai participar em todas as modalidades em competição.

Sob a égide da Associação de Comités Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA), os Jogos Africanos de Praia Sal 2019, contemplam 11 modalidades ligadas ao mar, atletismo, basquetebol 3×3, andebol de praia, ténis de praia, futebol de praia, remo no mar, futebol Freestyle, karaté kata, kitesurf, e natação em águas abertas num universo de 42 países.

Estima-se que estarão no país cerca de duas mil pessoas ligadas aos jogos, que principiam esta sexta-feira, entre atletas, dirigentes e respectivas comitivas, bem como jornalistas de vários países.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar