Pub
Por: Marlene Rodrigues

 marlene

Sôdadi é um grande vontadi

vontadi abraça algo e alguém

di perta e ka larga pa eternidadi

é bô sôdadi doença tudu alguém

 

Sôdadi ka é um simples sentimentu

é um grandi deseju di teni

é “falta di” ki ta causa sufrimentu

ta poi coraçon ta tremi e gemi

 

Sôdadi é um stúpido sentimentu

é alimenta prisenti ku lembranças di passadu

é ka aceita perda e rompimentu

é insisti pa retornu

 

Sôdadi ki nem sempri é matadu

ta dexa dor e marca di cicatriz

más basta é kuradu

alegria na nós ta kria raiz

 

Sôdadi podi desejadu

si em brevi é ta matadu

más, és sentimentu nostálgica

és sensason melancólica

pa mutu tempu é ka ta aguentadu

 

Sôdadi é odja kel ki ka sta nós frenti

é incanta ku iluson

e hoxi sufri pa um nada

ki onti, pa nós era tudu

 

Sôdadi é krê revivi

mesmu sabendu ma ka é possível

é ka dexa lembranças removi

é um perda inadmissível

 

é Sôdadi mamá, papa, irmom

sôdadi famílias, kretxeu e terra

Sôdadi di td ki um dia pa nós foi bom

Sôdadi é deseju oportunidadi agarra

 

é um ponti cortado na meio

ki pé kurtu ka ta ultrapassa

si salta podi cai beio

na busca di um toki pa corpo compassa

e pa sodadi dispassa

 

Sôdadi ka é sô dalguém

é ka sô sta sem toka ninguém

Sôdadi també di tudu

ki foi importanti pa nós mundu

ki um dia perdi e nú koya más

 

é ka ten prefiridus

é atingi pobris e ricus

só é ka fasi si morada

ken ki nunca perdi,

nunca da valor,

ki ka sabi kusé é amor

Sôdadi anda tudu cidadi

 

é alcansa spertu

é alcansa nocenti

el é um ânsia di trazi pa pertu

é só é ka consigui pô fica doenti

 

Um grandi obssesson pa passado

Ki ta poi prisenti doenti

Um presenti cheio antipassadu

ké distinu dotu guenti

 

Sôdadi é barulho di algo ausenti

gana vivi passadu na presenti

txubas di lagrimas di recordaçon

pa alivia pobri coraçon

 

Sôdadi é um noti di insónia

é anda e ka txiga

é xinti ma o ki bai bali pena

um grandi vontadi bai djuntu

sabendu mó ten ki fika

 

Sôdadi é nós fracassu

más nu tem ki chintil

el é motivu txeu regressu

sem el, lembranças é inútil

 

Ai Sôdadi, sim chintiu

mostram arma pam matau

só assi pam chinti friu

sé pô dominam nka desejau

 

Ai Sôdadi,

beleza nós tristéza

riqueza nós solidon

tristéza nós corason

 

Ai Sôdadi,

bô é sâbi,

si logo bu ta matadu

txeu kasâbi,

si jamais bu ka ta kuradu

 

Ai Sôdadi,

é bô propi ké “nten ki bai”

e “nsta ku vontadi fica e kabai”

bu chinti sôdadi?

ntom um dia, bu ka foi bô só

algo era bu metadi

e distinu lebal sem bô.

  

      



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar