Pub

armindotavares1 

Nhos djuda-nu ser algen

Nhos nxina-nu fase ben

Nu ta rekuza ser ningen

Flisidadi tanbe nu kre ten.

 

E na nos ki oxi sta kiriansa

Ki nhos debe poi speransa

Pa óras ki bedjisa nhos abrasa

Anos nu ser nhos seguransa.

 

Ka nhos dexa-nu pasa fomi

Ka nhos dexa-nu sen bai skóla

Pa nu ben ten nos kusa kume

Sen ki nu ten ki pidi zimóla.

 

Ka nhos atxa-nu diferenti

Di kes ki páis tudu ta da

Nos mé nu kre parse na frenti

Sen medu leba un bafatada.

 

Nu kre ri tanbe sima es ta ri

Pa nu sanadu sima es sanadu

Nos tudu ki nâse e mai ki pari

Nos bóka mé meste bokadu.

 

N ka kebra djudjun dja ten dos diâ

Nha koléga fla-m ma e sta ku anziâ

Pamodi ma e kume un balansiâ

Dipos di un praton di kaldu moriâ.

 

Fomi perta-m kada bes más inda

N lenbra un kusa ki papai ta flaba:

Ma kenha ki ten… kume te farta,

Ki ka ten… sensia te móre.

 

Nha mai ta deta senpri tardi

E ta durmi txaskan un-txos

E sabe ma mi senpri N ta pidi

Anti-manxe pa e da-m fidjós

 

Papai ta labanta di mardugada

Tudu diâ ki Deós poi na krus

Pa e ka sai di kasa sen kume nada

E ta ngana stangu ku padás di kuskus

 

Mas nos bizinha ki e Dotóra

Ta korda senpri la pa 10 óra

Ta sai na karu ku se mo fóra

Ta txiga trabadju sen dimora.

 

Mamai alves ta poi katxupa

Sen gran di pintu nen rabisku pexi

Otóra e ta kusia kaleron di sopa

Nu ta kume-l sima ki e bifi.

 

Onti e kusia un funsa loron

Pamodi na kasa otu kusa ka ten

Oxi e staba sen nun tiston

Nton e kusia se tenteren

(Palmarejo, 12/05/2019)



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar