Pub
Por: TSF

vulcão

Guenny Pires está a rodar um novo filme, “O Último Desejo do Vulcão”, uma película de 87 minutos, filmada parcialmente este ano, em Chã das Caldeiras (ilha do Fogo), que narra a história de Michel, um jovem negro criado em uma remota aldeia africana, e recebe a confiança de seu avô para se tornar o contista visual da sua terra.

Baseado em eventos reais, “O Último Desejo do Vulcão”, que vai continuar a ser rodado nos Estados Unidos, entre março e maio do próximo ano, tem como cenário principal a base da cratera do vulcão activo da ilha do Fogo, o “Pico do Fogo” , com a sua paisagem agreste e, simultaneamente, cativante.

A história gira à volta da história de uma família e do seu legado. As personagens principais são: Musa-Maximiano, um negro dos Estados Unidos da América; MicheL, neto de Musa-Maximiano; Procópia (10), colega de classe de Michel e namorada secreta; e Nascimento, uma mulher negra gentil, respeitosa e bela, mãe de Michel, seu codé, e de outros seus filhos.

Michel que está determinado a manter vivo o legado da aldeia, usando a câmera de 8 mm de seu avô para contar as histórias de sua aldeia para o mundo, inspirado pelos conselhos do ancião, que lhe dizem para relatar ao mundo quão especial é a relação que os habitantes de Chã das Caldeiras têm com o seu vulcão.

Este não é um filme autobiográfico, mas o realizador Guenny Pires, que nasceu na pequena Mira-Mira, interior da ilha do Fogo, vê nesta sua nova criação uma oportunidade de "auto-examinar” as suas raízes, tal como fez em “Contrato”, através de uma narrativa objectva, provocante e também muito humana, que já se tornou a marca da sua filmografia.

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar