Pub

 A.Mendes

O antropólogo e escritor cabo-verdiano, Arlindo Mendes, lança hoje, 14 de Setembro, pelas 18 horas, na Livraria Pedro Cardoso, o livro “Ritual de Apanha de Espírito em Santiago de Cabo Verde”, obra que será apresentada pelo artista Gil Moreira e pelo professor Adilson Semedo.

Segundo uma nota da Livraria Pedro Cardoso, que detém a chancela da obra, o livro tem como um dos propósitos compreender os contornos que envolvem o ritual de “apanha de espírito”, no seu sentido simbólico, no quadro dos rituais mortuários e no universo sociocultural santiaguense.

O livro pretende “contribuir para a identificação, catalogação, conhecimento, promoção e valorização dos aspectos basilares das crenças ligadas às práticas funerárias e aos seus reflexos na vida familiar e à quotidianidade dos actores rituais santiaguenses,” lê-se no documento.

Livro Arlindo Mendes

Com este ensaio, pretende-se ainda “alumiar” a importância da história oral, evidenciar as tradições e resgatar os valores e as manifestações culturais, transmitidas oral ou gestualmente, de geração em geração, a fim de contribuir para a promoção da memória colectiva e preservação dos traços identitários.

Arlindo Mendes é licenciado em História pelo Instituto Superior de Educação (ISE) de Cabo Verde, mestre em Estudos Africanos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal) e doutor em Antropologia /Etnologia pela Universidade de Pau et Pays de l`Adour (França).

Foi professor de Antropologia na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) onde coordenou “vários projectos de investigação”.

Foi ainda presidente do Conselho Pedagógico e presidente do Departamento de Ciências Sociais e Humanas daquela universidade.

O autor tem ainda vários artigos ligados à morte na ilha de Santiago, como “Rituels Funéraires à Santiago aux îles du Cap-Vert (Rituais funerários em Santiago, ilha de Cabo Verde)” e “Viver a morte em Santiago: Uma abordagem etnográfica”, entre outros.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+2 # SÓCRATES DE SANTIAGO 17-09-2018 11:14
Este é, seguramente, mais um importante documento de pesquisa em prol do conhecimento social e cultural da ILHA DE SANTIAGO, tema de eleição do nosso historiador e antropólogo, Professor Doutor Arlindo Mendes, "Prussor Arlindo", como é carinhosamente chamado na GRANDE ILHA. Cumprimentos socráticos e santiaguenses, mano Arlindo!
Responder
+1 # Domingos Landim 14-09-2018 13:23
Formulo-lhe os meus mais sinceros votos de sucesso no lançamento e posterior circuito da obra, ilustre Prof. Doutor Arlindo Mendes. Parabéns!
Responder