Pub
Por: Armindo Tavares

armindotavares1

 

U ki pasa ku bo, Eloiza

Foi mutu tristi i angustiadu

Pamodi dinheru BINTER rekuza

Salva-u bu vida ki staba en prigu

 

N odja-bu dentu lantxa steradu

Ta txora dor ta pidi agu

I governu, sen djobe pa ladu

Ki nporta-l si bu sta frontadu

 

Bu tinha dezeju di serba mai

Mas es dezeju fika li i bo bu bai

Bo ku bu fidju ki nen ka sai

Di dentu'l bo pa na txon kai

 

Pamodi dinheru ki bu ka tinha

Bu móre prenha sima bu staba

I Governu enves di pidi diskulpa

Ben tenta justifika se patetaria

 

N odja-u ta txora dizusperadu

Dentu di un lantxa ta pidi agu

Detadu di kósta steradu pan

Sima limária largadu na txon

 

Ku sedi, dor i sofrimentu

Sen forsa pa bu pintxa bu tormentu

Bu nbarsa mórti ku odju kran

Pabia di un Governu sen korason

 

Ah Kabu Verdi, ah nos téra,

Ja verdi bu ka e, dja dura

Sta-m ma dja nen bu ka ezisti

Pa bus propi fidju ki bu pari

 

Bu Téra bendedu pa Xines

Bu Mar npinhadu na Europa

Bu Seu dja feresedu Spanhol

Bu diginidadi dadu Merkanu

 

Konpitentis e kes ki grita VIVA!

Karton di Militanti bira ses Diploma

Sidadon e kenha ki ta fla SIN SENHOR

Sikre kusa ka sta da-l ku stangu.

 

Ah, nha téra di bo e duedu

Ku dotoradus tudu bariadu

Ki na ses kurikulu ta sta skrebedu "Ami e militanti di "X" Partidu

 

Soluson pa bo dja más ka tenedu

Bu dos maridu dexa-u asfikisiadu

Tudu bus braku es dexa tapadu

Dja bu Ar, sta kuazi pa ka raspiradu.

 

Kel meninu ki strobadu nase

Talves un dia e pode ben serba

Un sientista ki ben inventa

Algun ramedi pa korupuson



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Isabel Lopes 19-07-2018 11:45
Acho que o senhor Germano Almeida tem razão quando diz que ler em criolo(variante badiu) e cansativo i difícil como o ingles i o francês, durante os espaços noticiários somos muitas vezes invadidos por alguns jornalistas de Santiago, que de português falando nada tem haver, mas muitas vezes surgem dúvidas se estão a falar o português ou o badiu, quando dizem: vinezuela, milhoria, qui, si ... enfim
Responder
+1 # Paulo Mendonça 09-07-2018 11:19
Parabéns, ilustre Armindo Tavares.
Obrigado por não se calar.
Obrigado por colocar a sua sabedoria e arte ao serviço daqueles que sofrem.
Responder
-1 # Desconhecido 07-07-2018 21:57
Desculpa nho esquece fla ma canto filho de ze Maria dado tiro deslocado um avião pá lebal portugal
E coitado de Eloisa k mori ka falta de dinheiro nem bbinter e por cousa de má fé k mori
Kel alguém k filma má cre agua e pmd dpx Pe bem mostra janira má trabalho dja foi feito
Falta de carácter respeito cu alguém PAICv nhos faze campanha de outro maneira.
Responder
+3 # Sócrates de Santiago 07-07-2018 16:24
Gostei do poema, caro patrício, Armindo Tavares, poeta, ensaísta, escritor e dramaturgo lá da terra de Catxás. Cada estrofe e cada verso deste poema me tocam no antro mais profundo da minha alma badia e crioula. Cada morfema e fonema parecem o baladar do sino da Igreja de Pedra Badejo anunciando a DOR, o SOFRIMENTO e a MORTE de ELOISA. Bem queria eu escrever também versos deste género, porém, falta-me a veia poética tua, pois, eu sou mais talhado para reflexão e análise. Mas, mesmo assim deixo aqui estampado neste meu modesto comentário o meu grito de revolta e de tristeza, pois esta absurda morte de ELOISA não constitui apenas uma tragédia para os seus familares e amigos. Esta morte é uma grande tragédia para os santacruzenses, para os santiaguenses, boavistenses e cabo-verdianos, em geral. Eis a pergunta que não se cala-QUEM MATOU ELOISA?! Fica aqui o mote para a reflexão e desenvolvimento.
Responder
+2 # Armindo Tavares 07-07-2018 19:21
Ilustríssimo comentarista, Sócrates de Santiago.
Em termos informativos, já que focou o nome de KATXAS, suponho que seja com toda a bazofaria, digna e merecida, quero que saibas que a minha satisfação e o meu orgulho se redobraram. E por isso, quero que aceites da minha parte, um obrigado puro e sem misturo com nada que seja hipócrita. Pois, TO MARTINS, nominho de ANTÓNIA MARTINS CARDOSO, que era mãe de CARLOS ALBERTO SILVA MARTINS, vulgo KATXAS, era irmã legítima de ARMANDO MARTINS CARDOSO, que foi pai de ILDA MARTINS CARDOSO, mãe de ARMINDO MARTINS TAVARES.
E DOMINGOS TAVARES SILVA, conhecido por LELENXU, pai do KATXAS, era irmão legitimo de JOSÉ TAVARES SILVA, vulgo MIRANDA, que era pai de LAZARO SANCHES TAVARES, conhecido por NEZINHU ou LOBU TABARI, pai de ARMINDO MARTINS TAVARES, auror deste poema.
Conseqüentemente, Armindo Martins Tavares é sobrinho duplamente de KATXAS.
Muito obrigado.
Responder
0 # Santa Cruz 07-07-2018 15:44
Venho acompanhando os seus escritos, com regularidade e aprecios-os muito. Desta vez, não pude conter lágrimas, não só pela morte da(s) Eloisa(s) por incúria das autoridades, mas por outras verdades relacionadas sobretudo com o silêncio cúmplice dos nossos drs.
Meus respeitos pelo Sr. Pela coragem patriótica. Abraço!
Responder
-1 # Patufa 07-07-2018 13:24
Ki mizêria de raciocínio!!!! Ministério Público ta manda notifica Nhô já-já por causa de uso indevido fe memória de um defunto pa fins político-partidário. Mi como família N ca gosta nada dês brincadeira.
Responder
-1 # Neimy 10-07-2018 23:41
Nhos devia poi cabesa ta pensa e dexa brinka ku alguem k perde vida. Es li é brincadera faze poema ki vida k perde so pa atigi partido. Faze poema mas ca bu meste baixa de es forma. Li k ta odjado ignorancia de nos guents k ta cre afirma
Responder